maio 19, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Turquia avança para o segundo turno das eleições presidenciais com desempenho de Erdogan melhor do que o esperado

Turquia avança para o segundo turno das eleições presidenciais com desempenho de Erdogan melhor do que o esperado

ANKARA, Turquia (AP) — Eleições presidenciais na Turquia Indo para o segundo turno na segunda-feira, o presidente Recep Tayyip Erdogan superou seu principal rival, mas ficou aquém de uma vitória absoluta que teria estendido seu governo cada vez mais autoritário pela terceira década.

A votação será acompanhada de perto para ver se o país da Otan estrategicamente localizado – limitado pelo Mar Negro ao norte e pelos vizinhos Irã, Iraque e Síria – ao sul permanece sob o controle firme do presidente ou pode até mesmo começar. Seu principal rival, Kemal Kilicdaroglu, vislumbrou um curso mais democrático.

Erdogan governou por 20 anosAs pesquisas sugeriram que a corrida poderia terminar em meio a turbulências econômicas, uma crise de custo de vida e críticas à resposta do governo ao terremoto de fevereiro. Matou mais de 50.000 pessoas. Os países ocidentais e os investidores estrangeiros estavam particularmente interessados ​​por causa da liderança pouco ortodoxa de Erdogan na economia e seus esforços mercuriais, mas bem-sucedidos, para colocar a Turquia no centro das negociações internacionais, inclusive sobre a Ucrânia.

Com 99,4% dos votos domésticos contados e 84% dos votos estrangeiros contados, Erdoğan ganhou 49,4% e Kılıkdaroglu 45%, disse o chefe do Conselho Eleitoral Supremo, Ahmet Yener, a repórteres. Um terceiro candidato, o político nacionalista Sinan Ogan, recebeu 5,2%.

Erdogan, 69, disse a seus apoiadores na segunda-feira que ainda pode vencer. No entanto, ele disse que respeitaria a decisão do país se a corrida fosse para o segundo turno em 28 de maio – e poderia votar a seu favor, já que sua coalizão mantém a maioria no parlamento.

Pesquisas de opinião antes da votação de domingo mostraram Erdogan, que governa a Turquia como primeiro-ministro ou presidente desde 2003, ligeiramente à frente de Kilicdaroglu, o candidato conjunto da coalizão de oposição de seis partidos.

READ  Sacramento Kings concorda com extensão de contrato de Domantas Sabonis

Kilicdaroglu expressou esperança de uma vitória no segundo turno.

“Com certeza venceremos o segundo turno… e traremos a democracia”, disse Kilicdaroglu, de 74 anos, acrescentando que Erdogan agora perdeu a fé de uma nação que exige mudanças.

Ogan não disse quem apoiaria se a eleição fosse para segundo turno. Acredita-se que ele ganhou o apoio de eleitores que querem uma mudança depois de duas décadas sob Erdogan, mas não confiam na capacidade de governar da coalizão de seis partidos liderada por Kilicdaroglu.

Os resultados das eleições pareciam que a coalizão liderada pelo Partido da Justiça e Desenvolvimento de Erdogan manteria sua maioria no parlamento de 600 assentos, embora a assembleia tenha perdido seus poderes legislativos após uma votação para mudar o sistema de governança do país. Em 2017, o sistema presidencial com poderes executivos foi aprovado por pouco.

A agência de notícias Anadolu informou que a aliança do partido governante de Erdogan tinha 49,3%, a Nation Alliance de Kilicdaroglu tinha 35,2% e o partido pró-curdo tinha mais de 10%.

O fato de Erdogan parecer ter mantido sua maioria aumenta suas chances de ganhar um segundo turno, com mais eleitores apoiando Erdogan para evitar um governo dividido.

Como nos anos anteriores, Erdogan liderou uma campanha altamente divisiva. Ele retratou Kilicdaroglu, que tem o apoio do partido pró-curdo do país, como conivente com “terroristas” e que apóia os direitos LGBTQ “heterogêneos”. Em uma tentativa de atrair eleitores duramente atingidos pela inflação, ele aumentou os salários e as pensões e subsidiou as contas de eletricidade e gás, ao mesmo tempo em que apresentava a indústria de defesa doméstica da Turquia e os projetos de infraestrutura.

Kilicdaroglu, por sua vez, fez campanha com promessas de reverter a repressão à liberdade de expressão e outros retrocessos democráticos.

READ  Elon Musk, Twitter, Dogecoin, Bluesky e a corrida de mídia social descentralizada

“O fato de os resultados das eleições não terem sido finalizados não muda o fato de que a nação nos elegeu”, disse Erdogan.

Os resultados relatados pela agência estatal Anadolu mostraram que o partido de Erdogan domina a região atingida pelo terremoto, vencendo 10 das 11 províncias, apesar das críticas à resposta lenta e anêmica do governo de Erdogan ao terremoto de magnitude 7,8. Acredita-se que a não aplicação dos códigos de construção em 11 estados do sul tenha aumentado o número de vítimas e desastres.

O núcleo conservador da Turquia votou de forma esmagadora no partido governante, enquanto a principal oposição de Kılıçdaroğlu venceu a maioria das províncias costeiras no oeste e no sul. O partido de esquerda verde pró-curdo, YSP, conquistou as províncias de maioria curda no sudeste.

Mais de 64 milhões de pessoas, incluindo eleitores estrangeiros, puderam votar e quase 89% votaram. Este ano marca 100 anos desde que a Turquia foi estabelecida como uma república – um estado secular moderno nascido das cinzas do Império Otomano.

A votação na Turquia tem sido tradicionalmente forte, apesar de anos de repressão do governo à liberdade de expressão e reunião, principalmente após uma tentativa de golpe em 2016. Erdogan culpou os apoiadores do ex-clérigo Fethullah Gulen pelo golpe fracassado e lançou uma repressão em larga escala contra funcionários públicos com supostos laços com Gulen e políticos pró-curdos.

Erdogan, juntamente com as Nações Unidas, ajudou a intermediar um acordo com a Ucrânia e a Rússia que permitiu que os grãos ucranianos dos portos do Mar Negro chegassem ao resto do mundo, apesar da guerra da Rússia na Ucrânia. O acordo, implementado por um centro com sede em Istambul, deve expirar em dias, e a Turquia manteve negociações na semana passada para mantê-lo vivo.

READ  Domingo German lança o primeiro jogo perfeito da MLB desde 2012

Mas Erdogan atrasou a busca da Suécia para ingressar na Otan, argumentando que o país é muito brando com os seguidores do clérigo baseado nos Estados Unidos e membros de grupos pró-curdos que a Turquia considera ameaças à segurança nacional.

Os críticos atribuem a difícil crise do custo de vida ao estilo duro do presidente. Os últimos dados oficiais baixam a inflação de cerca de 86% para 44%. O custo das hortaliças virou tema de campanha da oposição, que usou a cebola como símbolo.

Ao contrário do pensamento econômico dominante, Erdogan argumenta que as altas taxas de juros estão alimentando a inflação e pressionou o Banco Central da República Turca a cortar sua taxa básica várias vezes.