junho 13, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Rússia alerta detentores de títulos soberanos que pagamentos dependem de sanções

Rússia alerta detentores de títulos soberanos que pagamentos dependem de sanções

Moedas de rublo russo são mostradas nesta ilustração tirada em 24 de fevereiro de 2022. REUTERS/Dado Rovich/Illustration/file image

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

  • Alguns títulos em dólar são pagos em rublos
  • Dívida da Rússia agora é classificada como ‘lixo’
  • Rússia pode enfrentar seu primeiro default da dívida externa desde 1918

LONDRES (Reuters) – A Rússia disse neste domingo que os pagamentos de títulos soberanos dependeriam de sanções impostas pelo Ocidente pela invasão da Ucrânia, aumentando o espectro de seu primeiro grande default de títulos estrangeiros desde os anos após a Revolução Bolchevique de 1917.

O Ministério das Finanças da Rússia disse que serviria e pagaria a dívida soberana integralmente e no prazo, mas sanções internacionais podem dificultar os pagamentos.

“A possibilidade real de fazer tais pagamentos a não residentes dependerá das medidas restritivas impostas por países estrangeiros em relação à Federação Russa”, disse o Ministério das Finanças em comunicado.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Isso levanta a possibilidade de a Rússia dar calote em sua dívida técnica depois que o Ocidente congelou a maior parte de suas reservas de US$ 640 bilhões depois que o presidente Vladimir Putin ordenou o que a Rússia descreve como uma operação militar especial na Ucrânia em 24 de fevereiro.

A partir de agora, a Rússia usará o rublo para fazer pagamentos aos residentes em títulos denominados em moeda estrangeira, disse o ministério.

O Ministério das Finanças de Moscou também disse abertamente que a Rússia pode não conseguir fazer pagamentos de títulos devido a restrições impostas pelo governo russo.

Em 1998, a Rússia deixou de pagar US$ 40 bilhões em dívida interna e desvalorizou o rublo sob o presidente Boris Yeltsin porque efetivamente faliu após a crise da dívida asiática e a queda dos preços do petróleo, o que minou a confiança em sua dívida em rublo de curto prazo.

READ  A média de novos casos de coronavírus nos EUA está abaixo do pico da Delta

Desta vez, a Rússia tem o dinheiro, mas não pode pagar porque as reservas – a quarta maior do mundo – que Putin ordenou construir para tal crise foram congeladas pelos EUA, UE, Grã-Bretanha e Canadá.

Este pode ser o primeiro grande calote da dívida da Rússia em mais de um século. Mesmo quando a União Soviética entrou em colapso, a Rússia assumiu sua dívida externa.

Em 1918, os revolucionários bolcheviques de Vladimir Lenin abandonaram a dívida czarista, o que chocou os mercados mundiais de dívida, porque naquela época a Rússia sofria de uma das maiores pilhas de dívida externa do mundo.

Como os títulos não valem nada, alguns detentores de notas czaristas os usaram como pano de fundo. A União Soviética liderada por Joseph Stalin parou de pagar empréstimos aos Estados Unidos e à Suécia após a Segunda Guerra Mundial.

padrão russo

Embora a Rússia tenha apenas US$ 40 bilhões em títulos internacionais com vencimento em 15 emissões denominadas em dólares ou euros, suas empresas acumularam dívida externa muito maior.

Eurobonds são emitidos com uma mistura de termos e contratos.

Notavelmente, os títulos vendidos após as sanções impostas à Rússia sobre a anexação da Crimeia em 2014 contêm uma disposição para pagamentos em moeda alternativa em dólares, euros, libras esterlinas ou francos suíços, com o rublo listado como uma opção de moeda alternativa para títulos emitidos desde 2018.

Em 16 de março, a Rússia deve pagar US$ 107 milhões em cupons por meio de títulos, embora tenha um período de carência de 30 dias para os pagamentos. O próximo pagamento integral “básico” é um título de US$ 359 milhões em 2030 em 31 de março, depois um vencimento maior de US$ 2 bilhões em 4 de abril.

READ  Lai Ching-te: O novo presidente de Taiwan pede à China que pare com a "intimidação" após tomar posse

A gigante russa do gás Gazprom tem US$ 1,3 bilhão em títulos com vencimento em 7 de março.

De acordo com o JPMorgan, o mercado de títulos da OFZ totalizou 15,5 trilhões de rublos, ou cerca de US$ 200 bilhões em taxas de rublo para janeiro, com estrangeiros possuindo pouco menos de um quinto dos títulos.

Mais cedo no domingo, a Moody’s rebaixou a classificação de crédito da Rússia para Ca, a segunda mais baixa na escala de classificação, citando controles de capital do banco central que provavelmente restringirão os pagamentos da dívida externa do país e levarão ao default. Consulte Mais informação

A Moody’s disse que sua decisão foi motivada por “sérias preocupações sobre a disposição e capacidade da Rússia de pagar suas dívidas”.

A agência de classificação disse que o risco de inadimplência aumentou e que os detentores de títulos estrangeiros provavelmente recuperarão apenas uma parte de seu investimento.

A Moody’s e seus pares Fitch e Standard & Poor’s Global classificaram a Rússia nos níveis de grau de investimento Baa3/BBB em 1º de março. Desde então, as três empresas reduziram seus ratings em vários níveis, enviando a dívida soberana da Rússia para o chamado território “lixo”.

(1 dólar = 121,0370 rublos)

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Guy Faulconbridge) Edição de David Goodman

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.