Pesquisadores da Ufop apostam em rejeitos de minério na construção civil

80% da lama podem substituir a areia na fabricação de tijolos, concreto e argamassa

Professor responsável pela pesquisa disse que a diferença para o produto convencional é a cor avermelhada

Pesquisadores da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) apostam na utilização dos rejeitos da mineração na construção civil.

Segundo o jornal O Tempo, de BH, os trabalhos apontam para alternativas que poderiam contribuir para a minimização dos impactos ambientais bem como redução dos riscos potenciais das barragens de rejeitos de minério de ferro.

A iniciativa vem sendo desenvolvida nos últimos anos pelo Grupo de Pesquisas Reciclos-CNPq da Ufop.

Trata-se basicamente de “soprar” a lama e separar os materiais nela existentes – tanto o material bruto quanto o material processado. Esse processo possibilita a incorporação de até 80% da lama no lugar de areia na produção de materiais para a construção civil.

Pesquisadores da Ufop apostam em rejeitos de minério na construção civil (1)O projeto já produziu concreto, argamassa, tijolos e bloco de pavimentação. “Todas essas produções são idênticas ao convencional. A única diferença está na cor, que é avermelhada”, explica o professor Ricardo Fiorotti, coordenador do projeto.

A equipe de pesquisa se coloca à disposição para oferecer o serviço de forma gratuita. A ideia é encontrar uma oportunidade de transformar a lama em uma atividade econômica.

“Nós não queremos nenhum financiamento. A intenção é beneficiar a sociedade, propondo soluções. Muito é possível se fazer com esses rejeitos”, explica Fiorotti.