abril 23, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Ramaphosa, da África do Sul, apela à aplicação da lei em edifícios “sequestrados”.

Ramaphosa, da África do Sul, apela à aplicação da lei em edifícios “sequestrados”.

JOANESBURGO (Reuters) – O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, pediu neste sábado às autoridades que apliquem regulamentos que impeçam moradores de cidades de ocupar ilegalmente prédios de apartamentos, depois que dezenas de pessoas morreram em um incêndio em um prédio ocupado ilegalmente em Joanesburgo.

O incêndio, que matou mais de 70 pessoas, destacou a crise habitacional numa cidade que é uma das mais desiguais do mundo e assolada pela pobreza e pelo desemprego.

Ramaphosa disse durante um evento do Congresso Nacional Africano: “O governo local deve implementar as leis”.

“Isto deu-nos um sinal de alerta e eu disse que as nossas cidades e municípios deveriam agora preocupar-se com a forma como as pessoas vivem. Encorajamos as pessoas a viver dentro da cidade… mas precisamos de o fazer em conformidade.” com nossas leis.”

O prédio é propriedade das autoridades municipais, mas as autoridades disseram que foi “invadido e sequestrado” por grupos desconhecidos.

Autoridades do governo disseram que alguns dos que morreram podem ter sido inquilinos de gangues criminosas ou foram extorquidos por gangues de “sequestros de edifícios”.

Autoridades municipais disseram que os esforços para despejar residentes de edifícios ocupados ilegalmente são muitas vezes frustrados por ordens judiciais que suspendem os despejos.

Ramaphosa disse que pediu aos ministros do governo que procurassem formas de fazer cumprir as leis sem violar os direitos das pessoas.

O edifício em ruínas está associado à África do Sul da era do apartheid, pois era onde os sul-africanos negros recolhiam as suas dombas, ou caderneta – documentos que lhes permitiam trabalhar em áreas da cidade pertencentes a brancos.

READ  O furacão Lee continua sendo um furacão de categoria 3 enquanto o NHC rastreia o furacão Margot e um outro sistema - o Orlando Sentinel

Ramaphosa disse que recolheu a sua caderneta no edifício há cerca de 50 anos, quando trabalhava na cidade.

Reportagem de Karen Du Plessis. Escrita por Olivia Komwenda Mtambo; Editado por Ross Russel

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenção de direitos de licenciamentoabre uma nova aba