junho 13, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Queimar o Alcorão na Suécia irrita o mundo islâmico

Queimar o Alcorão na Suécia irrita o mundo islâmico

fonte de imagem, EPA-EFE / REX / Shutterstock

legenda da foto,

A polícia interveio na reação das pessoas à queima de uma cópia do Alcorão em Estocolmo na quarta-feira

Vários países de maioria muçulmana condenaram a queima de uma cópia do Alcorão na Suécia em protesto.

Sloan Momica, que dizem ser um iraquiano que vive na Suécia, Eles atearam fogo a uma cópia do texto islâmico em frente à Mesquita Central de Estocolmo na quarta-feira.

Países do Oriente Médio, incluindo Iraque, Irã, Arábia Saudita e Egito, criticaram fortemente o incêndio criminoso.

A Turquia, um membro da OTAN que tem uma palavra a dizer sobre a adesão da Suécia, chamou isso de “ato desprezível”.

Os muçulmanos consideram o Alcorão a palavra sagrada de Deus e consideram profundamente ofensivo qualquer dano intencional ou desrespeito a ele.

O Alcorão foi queimado na quarta-feira, quando os muçulmanos de todo o mundo celebram o primeiro dia do Eid al-Adha, um dos feriados mais importantes do calendário islâmico.

A polícia sueca concedeu ao Sr. Momica permissão para protestar, em conformidade com as leis de liberdade de expressão. Mas a polícia disse mais tarde que o incidente estava sob investigação por incitação ao ódio.

O protesto provocou indignação entre outros países também.

O Marrocos chamou de volta seu embaixador em Estocolmo e convocou o encarregado de negócios sueco em Rabat.

O Iraque disse que o incidente foi “um reflexo de um espírito odioso e agressivo que nada tem a ver com a liberdade de expressão”.

A Arábia Saudita – destino de cerca de 1,8 milhão de fiéis para o Hajj esta semana – disse: “Esses atos odiosos e repetidos não podem ser aceitos com nenhuma justificativa”.

O primeiro-ministro sueco, Ulf Christson, disse que a queima do Alcorão foi “legal, mas não apropriada”.

Planos para queimar cópias do Alcorão provocaram tumultos na Suécia nos últimos meses.

Pedidos de protesto semelhantes foram recentemente negados pela polícia, mas os tribunais decidiram que deveriam ser permitidos com base na liberdade de expressão.