junho 28, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Partido Republicano se une em culpar Biden pela crise na Ucrânia

Partido Republicano se une em culpar Biden pela crise na Ucrânia

Parlamentares de ambos os partidos correram nesta semana para condenar a incursão da Rússia na Ucrânia, denunciando o presidente Presidente russo Vladimir PutinVladimir Vladimirovich Putin Austrália, Canadá e Japão impõem sanções à Rússia por causa da crise na UcrâniaA manobra como um ataque descarado ao direito internacional, à soberania ucraniana e à estabilidade na Europa Oriental.

Mas é aí que termina o acordo bipartidário.

Enquanto os republicanos estavam martelando a marcha de Putin em direção à guerra, eles também não perderam tempo em culpar as crescentes hostilidades diretamente nos ombros das crescentes hostilidades. Presidente BidenJoe Biden, o Pentágono concorda em solicitar a implantação da Guarda Nacional à frente do comboio de caminhoneiros em DC Lee Harris discute passado, novo CEO da DFC: EUA e aliados atingem a Rússia com mais sançõesdizendo que seu governo abriu caminho para a agressão russa com uma série de erros na política externa, incluindo a retirada desastrosa das forças americanas do Afeganistão em agosto passado.

Líder da minoria no Senado Mitch McConnellAddison (Mitchell) Mitchell McConnell Cinco Fast Foods à medida que a crise na Ucrânia se intensifica Schumer solicita briefing do Senado sobre o conflito Ucrânia-Rússia Biden chama a Rússia ansiosa para expandir para a Ucrânia Mais (República de Kentucky), falando a repórteres em Kentucky na terça-feira, disse que Putin não teria ousado enviar mais de 150.000 soldados para a fronteira ucraniana “se não fosse por nossa retirada apressada do Afeganistão”. Os republicanos da Câmara logo se juntaram ao ataque, acusando o presidente de adotar uma postura em política externa que era simplesmente branda demais para desencorajar os planos hostis de Putin para a Ucrânia.

“Infelizmente, o presidente Biden tem optado consistentemente pela desescalada e seu discurso duro sobre a Rússia nunca seguiu uma ação forte”, disseram líderes republicanos, incluindo legisladores. Kevin McCarthyKevin McCarthy, governador Reynolds oferece resposta do Partido Republicano às cinco perguntas do Estado da União de Biden Antes de Trump lançar a mídia social, Trump elogia McCarthy e Stefanek por endossar o desafiante de Cheney Mais (Califórnia), Steve ScalesStephen (Steve) Joseph Scales, Debate Judicial: Como Sarah Palin foi deixada em prejuízo por um júri ou por um juiz. (Los Angeles) e Elise StefanikElise Marie Stefanek – Trump elogia McCarthy e Stefanek por apoiarem o desafiante de Cheney Momentos obrigatórios para assistir esta semana no Capitólio Trump endossa a oferta de reeleição de Stefanek Mais (Nova York), em um comunicado.

Do outro lado do corredor, os democratas estão cantando uma melodia muito diferente, elogiando Biden e seu governo por agir rapidamente para unir a Otan e outros aliados importantes na Europa e além, muitos dos quais se juntaram aos Estados Unidos nesta semana para adotar novas e duras sanções econômicas contra Moscou.

READ  Volodymyr Zelensky conta o que viu em Bucha durante 60 minutos: "Morte. Apenas morte."

“Esses passos combinados demonstram que os Estados Unidos e nossos aliados não estão enganados em nossa determinação de infligir consequências severas e dolorosas à Rússia em resposta à invasão da Ucrânia por Putin”, disse o líder da maioria na Câmara. Steny HoyerSteny Hamilton Hoyer deixando a Casa Branca A diretora audiovisual Pelosi não disse se concorreria a presidente da Câmara novamente se os democratas vencerem: ‘Não é uma questão’ questões iminentes sobre como formar o sindicato dos funcionários do Congresso Mais (D-Md.).

A resposta partidária divergente destaca o quanto a cooperação no Capitólio diminuiu nos últimos anos, mesmo quando se trata de questões de política externa, como a agressão russa, que permaneceu durante décadas da Guerra Fria como uma força unificadora em uma ampla gama de opiniões políticas. .

Também reflete a mudança acentuada dentro do Partido Republicano em questões de política externa desde o advento do antigo Presidente TrumpCEO do Quincy Institute, Donald Trump: Negociadores ‘muito perto’ de acordo sobre o novo acordo nuclear com o Irã Cheney: Trump ‘bajulador’ sobre Putin ajuda nossos inimigos Cinco dicas à medida que a crise na Ucrânia se aprofunda Maiscujo slogan “America First” desafiava a abordagem vigorosa dos assuntos internacionais promovida pelos líderes mais agressivos do Partido Republicano que o precederam – mas também lhe rendeu legiões de seguidores fartos do envolvimento de Washington no exterior, não apenas os longos e custosos conflitos no Iraque e Afeganistão.

Essas tensões internas no Partido Republicano vieram à tona esta semana, após a decisão de Putin de reconhecer duas regiões separatistas no leste da Ucrânia como entidades soberanas separadas do governo democraticamente eleito em Kiev.

Um campo dos republicanos tradicionais é representado pelo senador. Lindsey GrahamLindsey Olin Graham Biden, Aliados desencadeiam sanções contra a Rússia McConnell disse que não acredita que o anúncio de Biden de uma indicação de uma mulher negra para a adesão ao Scottos seja “inapropriado” Memorando: Biden se prepara para influenciar enquanto a Rússia se aproxima do abismo Mais (Republika Srpska) e Ator. Liz CheneyElizabeth (Liz) Lynne Cheney Cheney: ‘Trump bajulando Putin’ ajuda nossos inimigos Suprema Corte negocia acordos da Suprema Corte para a tentativa de Trump de frustrar a Suprema Corte 6 de janeiro Suprema Corte rejeita recurso de Trump em disputa com o comitê da Câmara 6 de janeiro mais (R-Wyo.), ela pressionou fortemente para combater os instintos autoritários de Putin com novas e duras sanções, mais fundos de defesa para Kiev e uma vigorosa demonstração do poder militar dos EUA nas nações aliadas da Europa Oriental.

READ  Imagens de satélite mostram mais implantações militares russas no leste da Ucrânia

“Quero um sistema de punição do inferno”, disse Graham durante uma entrevista coletiva na terça-feira em seu estado natal.

A ala da oposição, incorporada por Trump e seus seguidores próximos, está promovendo uma agenda mais isolacionista, argumentando que os Estados Unidos sofreram por muito tempo com os custos de se fazer de policial do mundo.

“Eu realmente não me importo com o que acontece com a Ucrânia de uma forma ou de outra”, disse J.D. Vance, autor de “Hillbilly Elegy”, que está disputando uma cadeira no Senado – e o apoio de Trump – em Ohio.

Para complicar a reação do Partido Republicano, Trump elogiou nesta semana as táticas de Putin na Ucrânia como “gênio”, dizendo que a descrição do presidente russo das forças invasoras como “mantenedoras da paz” foi uma medida “inteligente” e “inteligente”.

O elogio atraiu condenação imediata de membros de ambas as partes, Incluindo Cheneyque disse que o “aconchego” do 45º presidente com Putin “ajuda nossos inimigos”.

“Os interesses de Trump não parecem estar alinhados com os dos Estados Unidos da América”, escreveu ela no Twitter.

Apesar das divisões, os republicanos parecem unidos em suas acusações de que a abordagem de Biden à política externa – seja na Rússia ou em outros lugares – exacerbou a crise na Ucrânia, que alguns temem que possa levar ao conflito mais sangrento da Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Os líderes republicanos da Câmara sinalizaram uma série de áreas em que dizem que a estratégia do governo foi um fracasso, incluindo a decisão de Biden no ano passado de renunciar às sanções impostas à construção do Nord Stream 2, o gasoduto de US$ 11 bilhões entre a Rússia e a Europa Ocidental.

“A ajuda letal estava indo devagar, as capacidades antiaéreas e antinavio não foram introduzidas diretamente, as sanções pré-invasão proporcionais à agressão já cometida por Putin não foram introduzidas e as sanções do Nord Stream 2 foram dispensadas”, disse o GOP. Líderes, cuja declaração também foi endossada pelos principais republicanos nos Comitês de Segurança Interna, Forças Armadas e Inteligência da Câmara.

Outros republicanos estão criticando Biden na frente da política doméstica, argumentando que a oposição do governo a alguns novos projetos de petróleo e gás em todo o país deu uma alavancagem indevida quando se trata de produção global de energia.

READ  Enquanto o mundo reage com horror a Bush, a mídia estatal chinesa tem um tom diferente

Para que a América seja uma potência diplomática, devemos ser uma potência militar. Para ser uma potência militar, a América deve ser uma potência econômica. Está tudo conectado, e o presidente Joe Biden está minando tudo com sua agenda extremista de desligar a energia americana e encorajar nossos inimigos como a Rússia”, disse o representante. Kathy McMorris RodgersKathy McMorris Rodgers Night Health Care – Pedido de financiamento COVID-19 enfrenta resistência – Hill Morning Report – Ucrânia, oeste à espera de ataque russo Pedido de Biden para fundos COVID-19 enfrenta resistência dos legisladores Mais (Washington), um proeminente membro republicano do Comitê de Energia e Comércio.

Biden na terça-feira Anunciando uma nova rodada de sanções sobre as instituições financeiras russas e algumas das famílias mais ricas do país. Outros líderes mundiais, incluindo representantes da União Europeia, Canadá, Reino Unido e Japão, anunciaram suas próprias sanções contra Moscou.

Em outro grande desenvolvimento, o chanceler alemão Olaf Schulz bloqueou na terça-feira a aprovação do oleoduto Nord Stream 2, que foi concluído, mas ainda não aprovado pelos reguladores alemães.

Ainda não está claro se os líderes democratas, que controlam as duas casas do Congresso, tomarão medidas adicionais para enfrentar a crise legislativamente ou permitirão que o governo Biden a enfrente unilateralmente.

No Senado, um grupo bipartidário vem trabalhando há semanas em um pacote para fornecer financiamento adicional e ajuda militar a Kiev, enquanto impõe novas e duras sanções a um rico oligarca russo aliado de Putin. Essas negociações foram interrompidas no início do mês devido a diferenças partidárias entre os negociadores, mas foram retomadas nesta semana em resposta à prometida invasão de Putin às regiões separatistas da Ucrânia.

Por outro lado, os líderes da Câmara estão adotando uma abordagem de esperar para ver.

“O Congresso estará preparado para tomar mais medidas se forem consideradas necessárias”, disse Hoyer na terça-feira.

Enquanto isso, os líderes ucranianos permaneceram desafiadores, preparando seus militares para uma ofensiva russa total enquanto apelavam aos Estados Unidos e outros aliados ocidentais por mais ajuda.

Em uma entrevista coletiva na quarta-feira em Kiev, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky alertou que nada menos do que “o futuro da segurança europeia” está em jogo.

“A resposta da comunidade internacional a este crime deve ser decisiva, imediata e dura”, disse.