junho 13, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Os pesquisadores agora sabem que a forma da nossa galáxia é muito diferente do que se pensava originalmente

Os pesquisadores agora sabem que a forma da nossa galáxia é muito diferente do que se pensava originalmente

Por muito tempo se acreditou que a forma da Via Láctea se ramificava em quatro braços, mas os cientistas agora acreditam que ela consiste em apenas duas espirais armadas.

Escrito por Sean Thiessen | Publicados

Os cientistas mudam a forma da galáxia. Ou pelo menos eles entendem isso. De acordo com um relatório anterior Space.comUma equipe de pesquisadores usou dados de telescópios sofisticados e outros instrumentos para mapear a forma da Via Láctea e chegou a uma teoria de que é uma espiral de dois braços, em contraste com a crença anterior de que ela tem quatro braços.

O estudo recente determinou que qualquer galáxia provavelmente será elíptica, irregular ou em forma de espiral. As galáxias espirais são as mais comuns e geralmente têm dois braços principais que se ramificam do centro e se separam em braços menores.

Há muito se pensa que a Via Láctea é uma estranha exceção a essa forma comum. Os cientistas presumiram anteriormente que nossa galáxia é uma espiral com quatro braços principais que se estendem de um aglomerado de estrelas no centro.

estrelas mortas

Embora muitos acreditem que a Via Láctea seja especial a esse respeito, por que ela assumiu essa forma única permanece um mistério. Os novos dados sugerem que a Via Láctea pode não ser distinta. Astrônomos da Academia Chinesa de Ciências em Purple Mountain e dos Observatórios Astronômicos Nacionais estudaram dados de várias fontes para construir um novo modelo da galáxia.

A equipe mediu as distâncias entre cerca de 200 estrelas na Via Láctea para criar um mapa da galáxia. Eles combinaram esses dados com medições do telescópio Gaia da Agência Espacial Européia. Eles concentraram as leituras do telescópio em mais de 1.000 aglomerados de galáxias e 24.000 estrelas OB.

READ  A NASA pergunta à SpaceX se pode trazer 3 astronautas de volta da Estação Espacial Internacional em uma emergência após um vazamento de refrigerante em uma espaçonave russa

Essas grandes estrelas queimam quente, brilhante e rápido, o que significa que elas se movem muito pouco durante suas vidas e são relativamente fáceis de rastrear. A equipe mediu o movimento das estrelas em relação à Terra para ajudar a detalhar seu novo modelo da galáxia. A teoria que a equipe apresentou é que a Via Láctea tem uma barra densa que atravessa seu centro, da qual existem dois ramos principais de braços.

Nas bordas da galáxia existem braços fragmentados que não estão conectados ao denso aglomerado de estrelas em seu centro. Acredita-se que esses braços fragmentados sejam o resultado de colisões galácticas no fundo da história da Via Láctea. Quando nossa galáxia colidiu com outra, ou talvez várias outras, teria ocorrido a fragmentação que criou a forma que os cientistas agora determinam.

A equipe admite que este novo modelo da galáxia está incompleto. Eles continuarão a adicionar dados de outras fontes e dos resultados em andamento do Gaia, que deve permanecer ativo por pelo menos mais dois anos.

Os métodos que levaram a equipe de pesquisa ao modelo com braços em espiral da Via Láctea podem mudar a maneira como os cientistas abordam a modelagem de galáxias em geral. Seu processo para determinar a estrutura galáctica lança uma nova luz sobre a forma de nossa galáxia e pode continuar a lançar luz sobre os mistérios de outras pessoas também.

À medida que os cientistas continuam a resolver os mistérios do espaço, nossa compreensão do universo e de nossa galáxia evolui. A busca para mapear a galáxia está longe de ser concluída, mas a humanidade está um passo mais perto de entender como a forma de nossa galáxia se encaixa no quebra-cabeça do universo.

READ  Um foguete SpaceX Falcon 9 lança dois satélites militares alemães