setembro 21, 2023

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Anistia lamenta ‘inconveniência’ causada por denúncias no relatório da Ucrânia | Ucrânia

A Anistia Internacional disse que era “profundamente lamentável e indignada” depois de alegar que as forças ucranianas estavam violando a lei internacional ao expor civis ao fogo russo.

“Nós mantemos nossas descobertas”, disse o grupo de direitos humanos no domingo, mas enfatizou que “nada do que documentamos que as forças ucranianas tenham justificado de alguma forma as violações russas”.

Anistia provocou indignação na Ucrânia ao publicar um relatório na quinta-feira Que acusou o exército de pôr em perigo civis Estabelecendo bases em escolas e hospitais e lançando contra-ataques de áreas densamente povoadas.

Chefe da Anistia Ucrânia Ele renunciou em protesto, acusando a organização de direitos humanos de repetir a propaganda do Kremlin.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que o grupo tentou “transferir a responsabilidade do agressor para a vítima”.

O relatório da Anistia Internacional mencionou casos em que as forças ucranianas pareciam colocar civis em perigo em 19 cidades e vilarejos nas regiões de Kharkiv, Donbass e Mykolaiv.

Em sua declaração no domingo, o grupo de direitos humanos se recusou a retirar essa avaliação.

Ele “encontrou casos em que as forças ucranianas foram posicionadas ao lado de onde os civis vivem, colocando-os em risco de fogo russo”.

“Fizemos essa avaliação com base nas regras do direito internacional humanitário, que exigem que todas as partes do conflito evitem localizar objetivos militares, na medida do possível, em ou perto de áreas densamente povoadas”, disse o relatório.

No entanto, a Anistia Internacional reconheceu a escala de reação que seu relatório provocou.

Assine a primeira edição, nosso boletim informativo diário gratuito – todas as manhãs da semana às 7h GMT

“A Anistia Internacional lamenta profundamente a dor e a indignação que nosso comunicado de imprensa causou sobre as táticas de combate do exército ucraniano”, disse a organização.

Desde a invasão russa em fevereiro, a Anistia disse que entrevistou centenas de vítimas ucranianas “cujas histórias destacam a realidade brutal da guerra de agressão da Rússia”.

“Desafiamos o mundo a mostrar sua solidariedade com os ucranianos por meio de ações concretas, e continuaremos a fazê-lo”.

READ  O desaparecimento de um trabalhador depois de receber indevidamente mais de 300 vezes o seu salário