fevereiro 5, 2023

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A Indonésia foi atingida por um terremoto de magnitude 7,6 e os alertas de tsunami foram suspensos

JACARTA (Reuters) – Um terremoto de magnitude 7,6 atingiu a Indonésia nesta terça-feira nas Ilhas Tanimbar, levando moradores em pânico da área a fugir de suas casas, embora um alerta de tsunami tenha sido suspenso três horas depois e relatórios iniciais indicassem danos limitados.

As Ilhas Tanimbar são um grupo de cerca de 30 ilhas na província de Maluku, no leste da Indonésia.

Pelo menos quatro tremores secundários foram relatados após o forte terremoto, que também foi sentido em algumas partes do norte da Austrália.

Funcionários da agência de desastres da Indonésia disseram que pelo menos 15 casas e dois prédios escolares foram danificados e uma pessoa ficou ferida, depois que as pessoas sentiram o terremoto com força por 3 a 5 segundos.

A agência de geofísica do país disse que o terremoto, com magnitude local de 7,5, ocorreu a uma profundidade de 130 quilômetros às 2h47, horário local (1747 GMT de segunda-feira). O alerta de tsunami foi suspenso às 5h43

O presidente da BMKG, Dwikorita Karnawati, disse em entrevista coletiva, aconselhando as pessoas que vivem perto da costa a continuar com as atividades.

O Centro Sismológico Europeu-Mediterrâneo (EMSC) registrou a magnitude do terremoto como 7,6, depois de reportá-lo inicialmente como 7,7. O USGS também o calculou em uma magnitude de 7,6.

O BMKG disse que houve quatro tremores secundários, o mais forte dos quais foi de magnitude 5,5.

A Indonésia fica no topo do chamado Círculo de Fogo do Pacífico, tornando-se uma das regiões mais sismicamente ativas do mundo, sujeita a terremotos frequentes.

Um terremoto de magnitude 5,6 atingiu a província mais populosa da Indonésia, Java Ocidental, em novembro passado, destruindo casas e matando mais de 300 pessoas.

READ  Papa Francisco autorizou escutas telefônicas do financista

Reportagem adicional de Ananda Theresia e Gayatri Suroyo em Jacarta e Akanksha Khushi em Bengaluru; Edição por Sandra Mahler, Ed Davies e Raju Gopalakrishnan

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.