julho 2, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A empresa de táxi voador Gopi e a companhia aérea ANA assinaram um acordo para oferecer serviço de compartilhamento de voos eVTOL para o Japão

A empresa de táxi voador Gopi e a companhia aérea ANA assinaram um acordo para oferecer serviço de compartilhamento de voos eVTOL para o Japão

A Joby Aviation, maior companhia aérea e motorista de táxi do Japão, anunciou planos para trazer voos para Osaka, a terceira maior cidade do país.

Em um comunicado na segunda-feira, a companhia aérea ANA e a startup da Califórnia disseram que as viagens aéreas reduziriam o tempo de viagem do centro de Osaka ao aeroporto de Kansai para apenas 15 minutos, em comparação com uma hora de carro.

JoeBen Bevirt, fundador e CEO da Joby, disse que a startup queria fornecer uma maneira mais ecológica de viajar rapidamente por meio de aeronaves elétricas de decolagem e aterrissagem verticais (eVTOL).

“O Japão nos apresenta uma grande oportunidade de fazê-lo, com 92% da população vivendo em áreas urbanas e Tóquio registrada como uma das 20 cidades mais populosas do mundo”, disse ele.

O aeroporto, localizado em uma ilha artificial a 38 quilômetros a oeste de Osaka, pode ser alcançado por monotrilho em 34 a 65 minutos.

As duas empresas disseram que a montadora japonesa Toyota, que investiu quase US$ 400 milhões (352,5 milhões de euros) na Joby, também se juntará à parceria.

Visando 2025

O governo japonês vem pressionando pelo desenvolvimento de serviços de transporte aéreo há vários anos. Em 2018, revelou um documento chamado “Roteiro para a Revolução da Mobilidade Aérea”, que visava 2023 como a data de início dos serviços de táxi aéreo comercial.

O anúncio da ANA e Joby não se comprometeram com uma data de lançamento – ou mesmo um ano – para trazer o avião de cinco lugares da empresa para o Japão, embora Osaka World Expo 2025 já tenha sido destacado por outras operadoras como um potencial ponto de partida.

READ  Investidores esperam que a taxa de juros suba 0,75 ponto percentual

No ano passado, a fabricante japonesa de carros voadores Skydrive assinou um acordo com as autoridades de Osaka para fornecer serviço de táxi aéreo para o evento de 2025.

“Não apenas instalar o eVTOL, mas também construir aceitação social e desenvolver um ecossistema de startups em Osaka pode ser possível sob o acordo”, disse o CEO Tomohiro Fukuzawa. repórteres na hora.

A Japan Airlines (JAL), principal concorrente da ANA, vem fazendo hype sobre os aviões eVTOL, investindo na startup alemã de carros voadores Volocopter em fevereiro de 2020.

Verificações antes do voo

Mas enquanto a indústria aérea japonesa e os políticos falam sobre serviços de transporte aéreo, há muito trabalho a ser feito antes que os táxis voadores possam decolar.

No anúncio de segunda-feira, ANA e Joby disseram que trabalhariam juntos para desenvolver as necessidades básicas para operar o serviço de táxi voador, incluindo “infraestrutura, treinamento de pilotos, operações de voo, gerenciamento de tráfego aéreo, aceitação pública e requisitos regulatórios de negócios”.

A aceitação do público pode ser um desafio no Japão, onde moradores com sensibilidade ao ruído protestaram anteriormente contra voos em altitudes mais baixas sobre áreas urbanas.

No ano passado, o Japão Mainichi Shimbun O jornal relatou reclamações de ruído contra helicópteros militares dos EUA em Tóquio, onde a aeronave teria voado a uma altitude de até 100 metros sobre áreas residenciais.

“Quero que eles façam viagens mais racionais”, disse um morador ao jornal.