dezembro 5, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A cápsula Orion da NASA vibra a lua na fase final antes que os humanos revisitem a órbita lunar: NPR

Esta captura de tela da NASA TV mostra a cápsula Orion da NASA, à esquerda, perto da lua, à direita, na segunda-feira. No centro está a Terra.

NASA via AP


Ocultar título

Alterar o título

NASA via AP

Esta captura de tela da NASA TV mostra a cápsula Orion da NASA, à esquerda, perto da lua, à direita, na segunda-feira. No centro está a Terra.

NASA via AP

Cabo Canaveral, Flórida. – A cápsula Orion da NASA chegou à lua na segunda-feira, deslizando sobre a superfície lunar em seu caminho para uma órbita recorde com manequins de teste sentados para os astronautas.

É a primeira vez que uma cápsula visita a Lua desde o programa Apollo da NASA, há 50 anos, e representa um marco importante no voo de teste de US$ 4,1 bilhões que começou na última quarta-feira.

A menos de 81 milhas, a cápsula da tripulação e seus três manequins com fio estavam do outro lado da lua. Por causa de um blecaute de meia hora nas comunicações, os controladores de voo em Houston não sabiam se o disparo crítico do motor havia ocorrido até que a cápsula emergisse detrás da lua, a 232.000 milhas da Terra.

As câmeras da cápsula enviaram uma imagem do mundo – uma pequena esfera azul cercada pela escuridão.

“Nosso ponto azul claro e seus 8 bilhões de pessoas estão agora aparecendo”, disse a comentarista do Controle de Missão Sandra Jones.

Como o contato de rádio foi recuperado, a cápsula ultrapassou 5.000 milhas por hora, disse a NASA. Em uma hora, Orion sobrevoou o Peace Center, onde Neil Armstrong e Buzz Aldrin pousaram em 20 de julho de 1969.

READ  O Globo de Ouro não será transmitido e o evento será 'privado' em meio a escândalos

“É um daqueles dias em que você pensa e fala há muito, muito tempo”, disse o diretor de aviação Zeb Scoville.

No início da manhã, a lua parecia ainda maior em um vídeo de flashback, enquanto a cápsula cobria os últimos milhares de quilômetros desde a decolagem do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, no topo do foguete mais poderoso já construído pela NASA.

Orion teve que girar ao redor da lua, ganhando velocidade suficiente para entrar em uma órbita lunar inclinada para trás. Os controladores de tráfego aéreo reavaliaram os dados para determinar se a ignição do motor ocorreu conforme o planejado. Outro disparo colocará a cápsula naquela longa órbita na sexta-feira.

No próximo fim de semana, a Orion quebrará o recorde de distância da NASA para uma espaçonave projetada para astronautas – quase 250.000 milhas da Terra, estabelecida pela Apollo 13 em 1970. E vai continuar, até a próxima segunda-feira estará a quase 270.000 milhas da Terra.

A cápsula passará uma semana em órbita lunar antes de voltar para casa. Pacific Splashdown está programado para 11 de dezembro.

Nenhum módulo lunar Orion; O pouso não acontecerá até que os astronautas da NASA tentem pousar na lua em 2025 a bordo da nave espacial da SpaceX. Antes disso, os astronautas irão atracar em Orion para um passeio ao redor da lua já em 2024.

Os gerentes da NASA ficaram satisfeitos com o progresso da missão. Eles disseram a repórteres no final da semana passada que o foguete do Sistema de Lançamento Espacial teve um desempenho extremamente bom em sua estreia.

O foguete de 322 pés causou mais danos do que o esperado, no entanto, na plataforma de lançamento do Kennedy Space Center. A força do impulso de decolagem de 8,8 milhões de libras foi tão grande que arrancou as portas de segurança do elevador.

READ  Bengal vence os primeiros playoffs 31 anos após erro no apito contra Raiders | NFL