Desde que as sirenes tocaram em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, alertando para o risco de rompimento de barragens, a cidade histórica está sofrendo com a fuga de turistas. Nem a vista para a reserva ambiental do Parque Estadual do Itacolomi tem deixado cheia a pousada do empresário Haroldo Crispi, de 58 anos. Ele é dono da Monttana, a primeira a ser construída no distrito de Lavras Novas, e afirma que, desde o início dos problemas com as barragens, os visitantes sumiram.

“Por falta de informação, tive um cancelamento de 40% das reservas no período do carnaval. As pessoas sentem medo em consequência de todas essas notícias”, disse.

De acordo com o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Felipe Vecchia Guerra, desde quando um possível rompimento foi veiculado na mídia, houve queda de 50% no turismo pedagógico da cidade, às vésperas do carnaval. Segundo o secretário, a falta de informação ou o mal-entendido tem afastado os turistas.

“Distritos como Lavras Novas vivem essencialmente do turismo. É preciso deixar claro que, caso houvesse um rompimento de barragem, o Centro Histórico de Ouro Preto e Lavras Novas não seriam atingidos (…) Na crise da mineração estávamos vivendo de turismo. Estávamos em crescimento no turismo e vem essa história da barragem”, explicou Guerra.

É o que diz também o comerciante Ronaldo Mapa, de 57 anos, dono do Brahmeiros Bar. “Estamos a 1.540 metros de altitude. A lama nunca chegaria aqui”. Ele também comentou que tem o comércio há sete anos e que a notícia do rompimento diminuiu o movimento.

Queda sentida também no Armazém Nossa Senhora dos Prazeres. Segundo o proprietário, Joaquim Feliciano Quintão Paes, de 57 anos, que tem a loja há 37, houve uma diminuição de 30% no faturamento.

“O fim de semana era o nosso diferencial e agora está abaixo do esperado”.


Já para o agente de turismo Luiz Otávio da Trindade, de 58 anos, conhecido na região como Bizute, o prejuízo também foi desastroso. “Eu não tenho tido contato nenhum na minha agência. Setenta por cento do nosso trabalho acabou”.

Para Bizute, a elevação de alerta nas barragens não espantou somente os turistas do município, mas também em toda a região, como Mariana, por exemplo.

A Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio de Ouro Preto tem feito estratégias para reverter a situação, principalmente na Semana Santa, época de maior concentração de visitantes no município. “Tem um grupo em Ouro Preto para criar um material para os turistas sobre a verdade das barragens. A área urbana de Ouro Preto e distritos daqui não serão afetados”, completou Felipe Guerra, que também é presidente do Circuito do Ouro.

Toda essa situação é um pesar para a cidade porque, de acordo com ele, o município nos últimos dois anos ganhou cerca de 60 empreendimentos turísticos como hostels, pousadas e ônibus panorâmico.

Semana Santa

Sexta-Feira das Dores (12 de abril)

19h – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Dores. Em seguida, último dia do Setenário das Dores, após o qual a imagem da Virgem Dolorosa será conduzida em procissão até a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia (Mercês de Cima). À entrada da imagem, canto do “Inflammatus”.

Sábado dos Passos (13 de abril)

19h – Missa na Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Em seguida, Procissão do Depósito de Nosso Senhor dos Passos até a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo). À entrada da imagem, canto do “Popule meus”.

Domingo de Ramos e da Paixão (14 de abril)

07h – Início da missa, com bênção e distribuição de ramos na Igreja de São Francisco de Assis e procissão litúrgica até a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo), onde se dará continuidade à Santa Missa Solene.

16h – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo). Em seguida, saída da imagem de Nosso Senhor dos Passos em procissão até a Praça Tiradentes.

16h – Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia (Mercês de Cima). Em seguida, saída da imagem de Nossa Senhora das Dores em procissão até a Praça Tiradentes.

Segunda-Feira Santa (15 de abril)

19h – Via Sacra saindo do Espaço Celebrativo do Santuário de Nossa Senhora da Conceição e percorrendo o entorno da mesma igreja.

Terça-Feira Santa (16 de abril)

19h – Missa na Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Em seguida, Procissão da Soledade de Nossa Senhora, conduzindo a imagem de Nossa Senhora das Dores e revivendo a tradição de percorrer os Passos da Paixão, até a Igreja de São Francisco de Assis. À entrada da imagem, canto do “Inflammatus”.

Quarta-Feira Santa (17 de abril)

19h -Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo). Em seguida, solene canto do Ofício de Trevas.

Sagrado Tríduo Pascal: Quinta-Feira Santa (18 de abril)

18h – Na Igreja de São Francisco de Assis, Missa Solene “In Coena Domini” — da Ceia do Senhor — com o “Sermão da Eucaristia”, Transladação do Santíssimo Sacramento e Desnudação dos Altares.

20h – Em frente à Igreja de São Francisco de Assis, “Sermão do Mandatum” e cerimônia do Lava-Pés.

23h – Procissão do Fogaréu – Retomando antiquíssima tradição ouro-pretana, concentração no adro da Igreja de São Francisco de Assis, de onde os fiéis sairão em cortejo penitencial até a igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo). Lá tomarão consigo a imagem do Senhor Bom Jesus Flagelado, simbolizando a sua prisão no Horto das Oliveiras. O cortejo seguirá pelo bairro Antônio Dias até a Igreja de Nossa Senhora das Dores.

Sexta-Feira Santa (19 de abril)

9h – Na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo), “Sermão das Sete Últimas Palavras do Divino Redentor na Cruz”.

15h – Na hora sagrada em que Nosso Senhor Jesus Cristo padeceu pela nossa salvação, na igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo), Solene Ação Litúrgica: Liturgia da Palavra, Adoração do Cristo na Cruz e distribuição da Santíssima Eucaristia.

19h – Em frente à Igreja de São Francisco de Assis, apresentação do figurado bíblico.

20h – “Sermão do Descendimento da Cruz”. Em seguida, piedosa Procissão do Enterro, conduzindo as imagens do Senhor Morto e da Virgem Dolorosa até a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Sábado Santo (20 de abril)

19h – Na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões (Mercês de Baixo), soleníssima Vigília Pascal: Bênção do Fogo Novo, Preparação do Círio Pascal, canto do “Exultet”, Liturgia da Palavra, Liturgia Batismal e Liturgia Eucarística.

Domingo da Páscoa (21 de abril)

7h – Na Igreja de São Francisco de Assis, Missa festiva. Em seguida, jubilosa Procissão da Ressurreição, conduzindo o Cristo vivo e ressuscitado, presente no Santíssimo Sacramento, até a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. À chegada, bênção solene do Santíssimo Sacramento e Missa.

19h- Na Igreja de São Francisco de Assis, missa solene, coroação de Nossa Senhora em seu triunfo e canto do “Te Deum”, encerrando as celebrações da Semana Maior.


Deixe seu comentário: