Em uma iniciativa como nunca vista em Itabirito (MG), a ParA?quia de SA?o SebastiA?o (em parceria com o Instituto Yara TupynambA?) uniu forA�as para restaurar trA?s igrejas histA?ricas do municA�pio itabiritense.

SA?o elas: Nossa Senhora da ConceiA�A?o, datada de 1718, do distrito de AcuruA�; Nossa Senhora do RosA?rio, de 1751, tambA�m de AcuruA�, e Igreja de SA?o GonA�alo do Monte, da qual nA?o se sabe a data precisa da construA�A?o, mas calcula-se que tambA�m seja do sA�culo 18 (como as outras duas).

A terceira capela citada pertence ao distrito de mesmo nome do santo.

Igreja de AcuruA�, obras por dentro. Na foto maior, a igreja por fora. Fotos: Instituto TubymanbA?

O trabalho a ser feito A� carA�ssimo. Para se ter uma ideia, por meio da promotora de JustiA�a, Vanessa Campolina, o MinistA�rio PA?blico destinou R$ 1 milhA?o para o inA�cio do restauro. Por sua vez, a Prefeitura de Itabirito entrou com aporte de R$ 230 mil.

No que diz repeito aos trabalhos de restauro, a Igreja de Nossa Senhora da ConceiA�A?o estA? praticamente finalizada. Terminando as obras de um monumento, tem-se inA�cio a segunda igreja (Nossa Senhora do RosA?rio). E, depois, a de SA?o GonA�alo do Monte (uma das maiores tristezas de Itabirito quando o assunto A� abandono de prA�dio histA?rico).

Todavia, os valores citados nA?o sA?o suficientes para restaurar as trA?s igrejas. Por isso, com objetivo de arrecadar fundos para a iniciativa, a mostra a�?Da Arte Urbana A�s Galeriasa�? acontece no SalA?o dos FerroviA?rios (sala de vidro) da PraA�a da EstaA�A?o, em Itabirito (MG). A exposiA�A?o vai atA� dia 31 de agosto, das 9h A�s 21h.

Os estudantes Victor MaurA�cio e Paola Sara visitam a mostra na PraA�a da EstaA�A?o em Itabirito. Foto: Minuto Mais

Alguns dos maiores expoentes da arte urbana nacional da atualidade: Ataide Miranda, Gud Assis, Hely Costa, John Viana, Nilo Zack e Scalabrini Kaos colocaram rA�plicas autenticadas de seus quadros A� venda pelo preA�o de R$ 2.000 cada.

Que fique claro: as obras originais estA?o expostas no SalA?o dos FerroviA?rios, mas, a princA�pio, o que estA?o sendo vendidas sA?o as rA�plicas.

Canecas (a R$ 50) e outros produtos que remetem A�s obras expostas na sala de vidro tambA�m podem ser adquiridos a preA�os nA?o convencionais em nome da causa.

O valor do patrimA?nio histA?rico vai alA�m da fA� religiosa

Restaurar uma igreja histA?rica nA?o deveria ser somente uma preocupaA�A?o da religiA?o que tem a edificaA�A?o como templo. A�, acima de tudo, um compromisso com a identidade de um povo, um resgate de uma tradiA�A?o.

Qualquer pessoa sabe da importA?ncia de se preservar algo, de relevA?ncia, que remeta ao passado dela. Transportando essa relevA?ncia para toda uma sociedade se tem, por exemplo, um monumento com importA?ncia histA?rica.

Sob o ponto de vista turA�stico, Itabirito foi a�?apagadaa�? se comparada A�s vizinhas Ouro Preto e Mariana. Por um motivo muito simples: estas cidades mantiveram parte considerA?vel de seus monumentos.

Em Ouro Preto, a prA?pria vicissitude de fatos passados se encarregou de destruir parte da histA?ria ouro-pretana. O Morro da Queimada, por exemplo, um dos primA?rdios da cidade, hoje A� basicamente ruA�nas.

Mostra em Itabirito em nome das trA?s igrejas. Foto: Minuto Mais

Contudo, a�?disputadosa�? monumentos de Ouro Preto continuam de pA� para deleite de turistas do mundo inteiro. JA? em Itabirito, que foi distrito ouro-pretano, restam somente resquA�cios histA?ricos que ainda assim merecem o respeito (mesmo que tardio) do itabiritense.

Tal situaA�A?o faz da atitude do padre Edmar um marco na histA?ria de Itabirito. HistA?ria que nA?o se faz somente com a�?monumentos de pedraa�?, mas tambA�m com a sensibilidade de personalidades.