Casa de Repouso, lar de 64 idosos em Itabirito. Foto: Minuto Mais

EXCLUSIVO: Uma denúncia chegou ao Ministério Público (MP) contra a coordenação da Casa de Repouso Santa Luiza de Marilac, de Itabirito (Região Central de Minas), conhecida por ser uma das instituições mais respeitadas, até então, do município. Sem citar nomes dos internos, a denúncia fala de maus-tratos a idosos. Inclusive, citando o dia e a hora do ocorrido. Segundo consta no relato, que chegou ao MP, no dia 29/9 deste ano, a assistente social Carina Gurgel, coordenadora da Casa, teria dado um “safanão” em dos idosos.

O teor da denúncia está sendo espalhada via WhatsApp
PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

Gritos, falta de assistência adequada e até tapas contra os anciões constam na denúncia. Associado a isso, remédios teriam sido encontrados por funcionários da Casa nos quartos (muitos idosos não gostam de tomar a medicação). A coordenação, então, teria pedido a esses funcionários que jogassem o material encontrado no vaso sanitário, sem fazer alarde.

Vendo que a medicação (não tomada) não surtia efeito, muitas vezes, a dose é aumentada pelo médico que não tem informações precisas sobre o que está ocorrendo. Com isso, muitos velhinhos passam mal. Só para deixar claro, o médico é boa referência segundo os denunciantes.

A denúncia feita ao MP é anônima. “Por ser anônima não tem o peso que deveria ter. Quando é assinada tem uma veracidade”, acredita Carina.

Com relação à confirmação de fatos por testemunhas, que tiveram como base as denúncias ao MP, feitas ao Minuto Mais, por pessoa de dentro do asilo, a coordenadora disse: “se essas acusações forem ao ar (por meio do site), vou acionar meu advogado para que os denunciantes se identifiquem”, disse Carina em sua defesa.

As informações pegaram o Minuto de surpresa. Apesar de que já houve uma denúncia anterior nos mesmos moldes (que foi arquivada). Sendo assim, o site procurou pessoas que atuam dentro da Casa de Repouso. Sem se identificar, com receio de represália, as pessoas procuradas corroboraram com as suspeitas, e relataram os momentos tempestuosos em que vive a instituição de Itabirito.

Recentemente, os vicentinos de Itabirito, da Sociedade São Vicente de Paula, responsáveis pela direção do asilo, entregaram seus cargos (só sobrando o presidente), por causa dos problemas de convivência entre o presidente e o tesoureiro. Um caixa endinheirado, fruto do bom trabalho de tesouraria, pertencente ao asilo, seria um dos motivos da discórdia.

Associada a isso, uma enfermeira substituta pediu contas alegando não haver bom clima, entre ela e a coordenação no ambiente de trabalho. A titular está afastada por motivos de saúde. Atualmente, o asilo está sem enfermeira chefe. Como se não bastasse, em meio à tempestade, outros funcionários deixaram o asilo.

A denúncia feita ao Ministério Público passa por trâmites legais. O primeiro passo já foi dado. Ela foi encaminhada à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Itabirito, que montou, por meio do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso, uma comissão formada por membros governistas e civis. Tal comissão tem o intuito de dar uma resposta ao MP.

Com o parecer em mãos, o Ministério Público arquiva o processo ou o encaminha para a Justiça.

Outro lado

A coordenadora Carina chamou 21 trabalhadores do asilo para conversar com a reportagem do Minuto Mais. Pediu algumas vezes para que a denúncia não fosse publicada. Negou veementemente as acusações.

Em seu favor, Carina disse que a Casa de Repouso recebeu os parabéns do Conselho Regional de Nutrição e que o Centro Especializado de Apoio Técnico do Ministério Público reconheceu melhorias na instituição.

Ela diz que a denúncia é mentirosa e difamatória e tem como base rixas no ambiente de trabalho. E afirma que pode juntar testemunhas, entre funcionários e familiares dos idosos, que atestem a inveracidade das acusações. “Também temos cerca de 50 câmeras de segurança espalhadas pela instituição (com exceções dos quartos e banheiros) que atestam que não houve nenhuma das histórias relatadas”, garante ela.

Prefeitura de Itabirito

Na cidade, quem responde pelos direitos dos idosos é a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Itabirito. A reunião no Conselho do Idoso para tratar da formação da comissão foi antecipada em cerca de uma semana, tendo como base a gravidade das denúncias.

Mesmo seguindo os trâmites da lei, a secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Itabirito, Jussara Vieira, afirma que até “o presente momento se sabe de nenhuma violação dos direitos dos idosos”.

Os idosos

A situação de muitos idosos é complicada quando o assunto é testemunhar em defesa própria. Informações extraoficiais dão conta de que dos 64 internos, 40 não são lúcidos.

“Diante dos fatos, a situação no asilo se transformou em um caos. E o mais prejudicados são os idosos”, afirma uma das testemunhas ouvidas pela reportagem.