Escola Manoel Salvador de Oliveira de Itabirito, escola vice campeã. Foto: Coca-Cola

Da Assessoria de Comunicação da Coca-Cola Femsa Brasil

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

Cinco escolas de Itabirito, Nova Lima e Brumadinho participaram, no dia 28 de novembro, da etapa final do programa Minha Galera Faz Eco 2018, promovido pela Coca-Cola Femsa Brasil. O evento foi realizado no Espaço Norma Brandão, em Nova Lima, e incluiu a apresentação dos projetos de sustentabilidade desenvolvidos pelos estudantes, que foram avaliados por um júri técnico levando em consideração criatividade, impacto e potencial de alcance do projeto, engajamento dos alunos e replicabilidade.

A escola campeã foi o Colégio Santo Agostinho (unidade Nova Lima), que propôs a criação de um Grupo de Trabalho de Envolvimento e Iniciativa Ambiental. Como o colégio já tem a sustentabilidade bem desenvolvida internamente, os estudantes decidiram levar o conceito para a comunidade do entorno. Inicialmente, duas igrejas, uma creche e um condomínio serão beneficiados com a “Teia da Sustentabilidade”. Como prêmio, a escola receberá R$ 5 mil destinados à implementação do projeto e os estudantes vão ganhar um passeio para comemorar o título no distrito de Casa Branca, em Brumadinho.

Segundo o professor de geografia do Santo Agostinho, Saulo Soares, a proposta é tornar os alunos disseminadores da sustentabilidade, oferecendo em outros ambientes os conhecimentos e práticas que vivenciam na escola. “Os estudantes vão divulgar a coleta seletiva em seus ambientes sociais, ensinando, a partir de oficinas, a importância de separar e dar o destino correto ao lixo.

Santo Agostinho de Nova Lima, escola campeã. Foto: Coca-Cola

Como a escola possui Ecopontos para a coleta seletiva, o objetivo é tornar isso mais conhecido pela comunidade, diminuindo a pressão nos aterros sanitários e gerando renda para a Ascap (Associação dos Catadores de Papel e Material Reciclável de Nova Lima)”, afirma. Também estão previstas atividades de voluntariado, com dinâmicas que visem práticas mais sustentáveis em creches e asilos de Nova Lima, promovendo oficinas de compostagem, minhocário e cultivo de horta.

O projeto vice-campeão do Minha Galera Faz Eco 2018 foi desenvolvido pelos estudantes da Escola Municipal Manoel Salvador de Oliveira, de Itabirito. O objetivo é construir uma praça sustentável em uma área subutilizada do colégio.

Já o terceiro lugar ficou com a Escola Municipal Leon Renault, de Brumadinho, em que os alunos propõem que seja realizada uma reforma na biblioteca da instituição.

O programa Minha Galera Faz Eco consiste em um concurso entre escolas municipais, estaduais e particulares das cidades de Brumadinho, Itabirito e Nova Lima. A iniciativa tem como objetivo disseminar a importância da preservação ambiental entre os jovens estudantes, além de fomentar a educação sustentável em toda a comunidade. Neste ano, participaram do concurso 14 instituições e o tema foi “Como a minha escola pode ser mais sustentável?”.

Todos os alunos elaboraram cases com o objetivo de gerar benefícios diretos ao meio ambiente com impactos positivos na comunidade, município ou Estado. Eles contaram com o suporte de uma apostila preparada exclusivamente para o programa com conteúdo pedagógico que aborda a temática da conservação ambiental e sustentabilidade. No decorrer do programa, realizaram tarefas, como “quiz” e desafios para promover a sustentabilidade em sua comunidade, que serviram de base para o desenvolvimento de um projeto final.

De acordo com a gerente de Comunicação Externa e Sustentabilidade da Coca-Cola Femsa Brasil, Wanessa Scabora, a meta do Minha Galera Faz Eco é levar o debate sobre sustentabilidade para além das paredes das escolas. “O programa tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância do consumo consciente e a destinação correta dos resíduos, além de promover a educação ambiental nas escolas”, afirma.