maio 27, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Ucrânia diz que dezenas de milhares foram mortos em Mariupol e acusa Rússia de retardar evacuações

Ucrânia diz que dezenas de milhares foram mortos em Mariupol e acusa Rússia de retardar evacuações

Por Pavel Politiuk

Kiev, Ucrânia (Reuters) – A Ucrânia disse nesta segunda-feira que dezenas de milhares de pessoas provavelmente foram mortas no ataque da Rússia a Mariupol, e forças russas desaceleraram as evacuações da cidade sitiada no desesperado sudeste do país.

“Maripol foi destruída, há dezenas de milhares de mortos, mas, apesar disso, os russos não pararam sua ofensiva”, disse o presidente Volodymyr Zelensky em um discurso em vídeo a parlamentares sul-coreanos.

A Reuters confirmou a devastação generalizada em Mariupol, mas não pôde verificar a precisão de sua estimativa do número de mortos na cidade estratégica, que fica entre a Crimeia, anexada à Rússia, e áreas do leste da Ucrânia controladas por separatistas apoiados pela Rússia.

Se confirmado, seria o maior número de mortos registrado até agora em um lugar na Ucrânia, onde cidades, vilas e vilarejos foram bombardeados implacavelmente e muitos corpos, incluindo civis, são vistos nas ruas.

Mais de 5.000 pessoas foram mortas em Mariupol, disse Denis Pushlin, presidente da autoproclamada República Popular de Donetsk, à agência de notícias russa RIA na segunda-feira. Ele disse que as forças ucranianas são responsáveis.

O número de pessoas que deixam a cidade caiu, não porque as pessoas não queiram escapar, mas porque as forças russas atrasaram as verificações antes de partir, disse Petro Andryushenko, prefeito assistente de Mariupol, no serviço de mensagens Telegram.

Ele disse que cerca de 10.000 pessoas estão esperando para serem examinadas pelas forças russas. A Rússia não permite que militares saiam com os evacuados. Não houve comentários imediatos de Moscou, que anteriormente culpou a Ucrânia por impedir as evacuações.

Mariupol estava entre os nove corredores humanitários que a Rússia concordou na segunda-feira para evacuar pessoas das regiões do leste sitiadas, mas seu corredor era apenas para carros particulares, disse Irina Vereshuk, vice-primeira-ministra da Ucrânia, no Telegram.

READ  Alemanha incendeia usinas de carvão enquanto Rússia corta fornecimento de gás

Ela disse que não era possível chegar a um acordo sobre o fornecimento de ônibus.

A Ucrânia diz que as forças russas estão se mobilizando para lançar uma nova ofensiva nas regiões do leste, incluindo Mariupol, onde as pessoas estão sem água, alimentos e suprimentos de energia há semanas. Moscou descreve sua invasão da Ucrânia como uma “operação militar especial”.

(Reportagem de Pavel Politiuk em Kiev; Redação de Conor Humphreys; Edição de Philippa Fletcher)