maio 28, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Tribunal vai ouvir argumentos em controvérsia entre Steve Bonnon e DOJ antes de audiência de desacato no Congresso

Tribunal vai ouvir argumentos em controvérsia entre Steve Bonnon e DOJ antes de audiência de desacato no Congresso

Embora existam documentos sob esta ordem ou não esteja claro qual o papel que eles podem ter desempenhado no caso de Banan, ele foi uma das muitas testemunhas procuradas pelos comitês de 6 de janeiro, que levantou argumentos sobre seus direitos executivos e se isso os isentou de suas dever? Para cooperar com a investigação.

Poderia fornecer informações sobre como o DOJ vê casos como o de Bannon e como o caso de Bannon difere de outras visões de funcionários atuais ou antigos do governo, dependendo do que o DOJ finalmente produziu sob uma nova ordem emitida pelo juiz distrital dos EUA Carl Nicholas. Não se conformou com as saponias do Congresso.

Em particular, Nichols ordenou que declarações ou escritos que reflitam a política oficial do judiciário – sejam eles públicos ou não – se preocupem se tais escritos se relacionam com a acusação ou a não acusação de reclamações administrativas feitas por um funcionário do governo ou ex-funcionário do governo em nome próprio. -defesa. Imunidade ou problemas semelhantes.

Os legisladores citaram outra testemunha de negação, O ex-chefe de gabinete da Casa Branca Mark MeadowsEles sinalizaram que, se não cumprirem as sapons do Congresso referentes a 6 de janeiro, serão processados ​​e outros enfrentarão perigo legal. O ex-presidente Donald Trump tentou repetidamente obter informações da Casa desde que estava na Casa Branca, mas até agora falhou quando testado no tribunal.

Nichols na quarta-feira rejeitou vários dos pedidos de Bonan para mais descobertas, e o juiz tomou apenas medidas provisórias sobre como ele resolveria uma questão levantada pelo painel de Bonan sobre as tentativas do judiciário de obter registros de telefone e e-mail de um dos advogados de Bonan.

Nichols estava perto de dar ao judiciário um sucesso significativo, mas Banon parou de dar ao departamento um pedido para impedir que o advogado que ele recebeu aparecesse no julgamento para uma defesa antes de cumprir com os promotores. O juiz ordenou uma rodada adicional de explicações sobre o argumento apresentado pela primeira vez pelo painel de Banan em argumentos orais sobre por que essa proteção deveria ser usada no julgamento marcado para julho.

READ  Walt Nauta: assessor de Trump indiciado em caso de documentos classificados

A concessão parcial de Nichols ao pedido de Panon para registros internos do DOJ veio depois de uma série de perguntas durante um inquérito sobre um comentário feito pelo Gabinete de Assessor Jurídico do Judiciário – que presta assessoria jurídica ao poder executivo. Os conselheiros do presidente estão isentos de sabotagem do Congresso por depoimentos que confirmem o privilégio executivo do presidente.

Nichols disse que os comentários do OLC, ou a posição de toda uma divisão ou painel de acusação, foram escritos sob um pedido de produto que ele emitiu na quarta-feira.

Explicando por que Bannon não acreditava que era obrigado a cumprir a Sapona, as indicações de Trump são de que ele está procurando obter algumas das evidências solicitadas pelo Comitê da Câmara sobre o Comitê Jurídico de Privilégios Administrativos de Bonan. Membros do comitê da Câmara em 6 de janeiro observaram que Banon não era um conselheiro da Casa Branca durante a investigação.

O caso de Bannon foi trazido à tona após seu descumprimento Com uma sapona A partir do Comitê Seleto da Câmara, ele fornece um teste importante dos poderes do governo, pois o Congresso procura impor consequências às testemunhas que não cumprem as saponias.

O caso também pode esclarecer a extensão dos poderes de Trump para proteger os crentes que defenderam seus esforços para virar as eleições de 2020 de cabeça para baixo.

Antes do julgamento de Bannon agendado para julho, os dois lados brigaram sobre o que poderia ser colocado diante de um tribunal arbitral.

O judiciário argumenta que Banon não poderia usar o conselho dado pelo advogado que o representa em suas conversas com a comissão da Câmara por descumprir as sapões do Congresso. Bonan anexou sua decisão de não testemunhar ao que seu advogado perguntou à equipe jurídica de Trump sobre o interesse do ex-presidente em proteger algumas provas do painel. Se o DOJ conseguir obter uma ordem judicial que exclua esse argumento, os advogados podem arquivar um caso muito mais simples, concentrando-se no fato de que Bonon não foi mostrado como prova saponificada ou preparou documentos saponizados.

READ  A Fossil não ficaria 'surpresa' se Omigron já estivesse nos EUA, prevendo que iria 'para todos'

Desde que a disputa foi resolvida, a equipe de Bonan fez alegações agressivas de má conduta por parte dos promotores e buscou mais informações sobre como o departamento investigou o advogado de Bonan, Robert Costello, envolvido e como o departamento decidiu trazê-lo. Caso. Essas brigas são uma prévia de quão confuso será o caso contra ele, e ecoam preocupações sobre o privilégio advogado-cliente que surgiu em disputas legais envolvendo vários grupos de testemunhas, incluindo aqueles que atuaram como advogados e assessores de Trump.

Alegações do DOJ ‘irresponsável’ tentam obter registros telefônicos do advogado de Banan

Um ex-assessor de Trump foi acusado em novembro de desacato ao Congresso por se recusar a apresentar documentos solicitados pela comissão de inquérito na tentativa de manchar a credibilidade do Congresso pela vitória do presidente Joe Biden.

Bonan admite inocência e prometeu fazer seu caso “errado do inferno” para o governo Biden. Ele e seus advogados questionaram a intenção de processá-lo, pressionaram os promotores a investigar mais as discussões internas sobre as acusações contra ele e argumentaram que provas adicionais em seu caso deveriam ser tornadas públicas.

A equipe de Banerjee apreendeu a busca do governo por comunicações envolvendo Castello, alegando que o judiciário havia agido de forma inadequada ao entrevistar Castello e coletar seus registros de telefone e e-mail. A equipe de Banerjee enfatizou que o governo é muito abrangente em seus esforços porque eliminou registros de outros Robert Castellos não relacionados.

Em uma petição apresentada no tribunal na semana passada, os advogados de Banan acusaram o governo de “irresponsável em obter o e-mail pessoal e profissional e os registros telefônicos do advogado de Bannon, Robert Costello”.

Além disso, Bannon acusou o judiciário de reter provas fornecidas por um ex-assessor de Trump porque sua equipe jurídica está procurando informações sobre o que foi fornecido ao grande júri que o acusou de vários tipos de painel interno e registros judiciais.

O departamento argumentou que havia cumprido – e violado – suas obrigações de descoberta ao defender seus esforços para reunir evidências das comunicações de Castello.

READ  Filmagem de Marvel's Victoria Alonso Argentina, 1985 – The Hollywood Reporter

“No entanto, o governo nunca recebeu nenhum registro que pudesse ser protegido por privilégios advogado-cliente”, disse o DOJ em um documento, acrescentando que as regras do tribunal “não autorizam o réu a pesquisar arquivos do governo”. Detectando alguma má conduta.”

Discutir se o conselho do advogado de Bonan pode ser parte de sua defesa

Paralelamente à polêmica sobre as táticas do DOJ está a luta para impedir que o judiciário use o argumento N-Advogado-disse-me-fazer como defesa para violar uma sapona.

Ao apontar para o envolvimento de Panan na audiência do painel de 6 de janeiro, ele apontou para as alegações de Costello. Privilégio de gerenciamento Trump disse que tinha que insistir no julgamento. O painel de Bonan também apontou para a exigência de Costello de que Bonan e a Câmara resolvam diferenças legais sobre suas obrigações de cooperar com um caso civil.

O judiciário disse que em vez de revisar os registros que satisfizeram Sapona ou preparar um registro para o comitê sobre os registros que eles suspenderam, Bonan e seu advogado estavam tentando evitar Sapona.

“[Bannon’s] As desculpas para o descumprimento são inadequadas, e sua deturpação da oferta e o conselho do advogado não são seguros para desacato”.

Os defensores de seu caso têm trabalhado para tornar a transcrição real desta declaração disponível online.

Quando o advogado de Trump, Justin Clark, enviou uma carta a Bonan, ele ordenou que Bonan não fornecesse testemunho e documentação sobre os itens oferecidos.

“Mais uma vez, nossa carta abaixo não menciona que acreditamos que seu cliente está imune ao testemunho. Como eu lhe disse, não acreditamos”, escreveu Clark em um e-mail de outubro de 2021. Para Costello, isso foi arquivado no tribunal.

Em um e-mail separado para Bonan, Costello advertiu: “Eu não sei o que Clark está jogando, mas coloca Steve Bonan em uma posição perigosa. Cuidado.”

A história e o título foram atualizados na quarta-feira com melhorias adicionais.

Katelyn Polantz e Paula Reid, da CNN, contribuíram para o relatório.