novembro 29, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Rússia quer votação secreta da ONU para condenar a “anexação” das regiões da Ucrânia

Rússia quer votação secreta da ONU para condenar a "anexação" das regiões da Ucrânia

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – A Rússia está pressionando por uma votação secreta em vez de uma votação pública quando a Assembleia Geral da ONU, com 193 membros, considerar na próxima semana se condenará a decisão de Moscou de anexar quatro regiões parcialmente ocupadas da Ucrânia depois de organizar o que descreveu como. Referendos.

A Ucrânia e seus aliados denunciaram os votos em Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhya como ilegais e obrigatórios. Uma resolução da Assembleia Geral da ONU redigida pelo Ocidente condenaria os “supostamente ilegais referendos” na Rússia e a “tentativa de anexação ilegal” das regiões onde a votação foi realizada.

“Este é um desenvolvimento claramente politizado e provocativo destinado a aprofundar a divisão na Assembleia Geral e alienar ainda mais seus membros”, escreveu o embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Vasily Nebenzia, em uma carta aos países da ONU vista pela Reuters.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Ele argumentou que a votação secreta era necessária porque a pressão ocidental significava que “poderia ser muito difícil se as posições fossem expressas publicamente”. Diplomatas disseram que a Assembleia Geral provavelmente teria que votar publicamente em uma votação secreta.

A Rússia vetou uma resolução semelhante no Conselho de Segurança de 15 membros na semana passada.

“A menos que a comunidade internacional responda, pode haver alegações de que ninguém está prestando atenção e isso agora é uma carta branca para outros países fazerem o mesmo ou reconhecer o que a Rússia fez”, disse Olof Skoog, embaixador da União Europeia nos Estados Unidos. Nações, disse na quarta-feira.

Ele disse que a UE está consultando amplamente os Estados membros da ONU antes de uma possível votação na quarta-feira.

READ  Casa Branca se refere a um "gargalo logístico perigoso" nos planos de enviar aviões para a Ucrânia

A Rússia não controla totalmente nenhuma das quatro províncias que afirma ter anexado, no entanto, as forças ucranianas recuperaram o controle de milhares de quilômetros quadrados de território desde o início de setembro.

Os movimentos nas Nações Unidas refletem o que aconteceu em 2014, depois que a Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia. No Conselho de Segurança, a Rússia vetou um projeto de resolução opondo-se ao referendo sobre o status da Crimeia e instando os países a não reconhecê-lo.

Em seguida, a Assembleia Geral adotou uma resolução declarando o referendo inválido por 100 votos a 11 contra, com 58 abstenções oficiais, enquanto 24 países não participaram.

A Rússia está tentando se livrar de seu isolamento internacional depois que quase três quartos da Assembleia Geral votaram para repreender Moscou e exigir que ela retirasse suas forças dentro de uma semana após a invasão da vizinha Ucrânia em 24 de fevereiro.

Antes da votação da Assembleia Geral de abril para suspender a participação da Rússia no Conselho de Direitos Humanos, Moscou alertou os países que um voto de sim ou de abstenção seria considerado “hostil” com consequências para suas relações.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Relatado por Michelle Nichols; Edição por Grant McCall

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.