julho 2, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Rússia e Ucrânia atualizações ao vivo e as últimas notícias sobre a crise nas fronteiras

Rússia e Ucrânia atualizações ao vivo e as últimas notícias sobre a crise nas fronteiras
Moradores de Stansya Luhanska, na Ucrânia, continuam com suas vidas enquanto projéteis de artilharia reverberam à distância em 19 de fevereiro (Sloane George/Washington Post)

STANTSIA LUHANSKA, Ucrânia – O som de um bombardeio distante foi ouvido em um cruzamento entre a Ucrânia e a região de Luhansk, controlada pelos separatistas, neste sábado. O fogo de artilharia forneceu outra indicação da escalada dos combates e da tensão entre as forças do governo ucraniano e militantes pró-Rússia.

A maioria das pessoas não reagiu, caminhando até o posto de controle para entrar na chamada República de Luhansk ou voltando de lá. Oleksandr, cuja irmã mora no território de Luhansk, passou uma semana lá antes de retornar ao lado controlado por Kiev na manhã de sábado. Ele disse que não testemunhou uma evacuação em massa de pessoas, como as regiões de Luhansk e Donetsk anunciaram na noite de sexta-feira.

Mas havia longas filas em postos de gasolina e multidões de pessoas estocando suprimentos nas lojas.

“Minha irmã ainda está lá e minha sobrinha ainda está lá, então como você pode não se preocupar?” disse Oleksandr, que, como outros, evitou dar seu sobrenome por medo de represálias separatistas contra sua família. “Não quero acreditar que este seja o início de uma escalada”, acrescentou.

Os militares ucranianos relataram um aumento de dez vezes nos bombardeios nos últimos três dias, acusando os separatistas de usarem armas proibidas em acordos anteriores. Um soldado ucraniano foi morto em um ataque recentemente.

Uma mulher que voltava da região separatista disse que a situação era “tranquila e calma” e não ouviu nenhum bombardeio. Outra, Emma, ​​cujos pais moram na autoproclamada república, disse ter ouvido o anúncio do despejo, mas não planejava deixar a área.

“Mas as pessoas estão com medo”, disse ela.

O movimento daqueles que se dirigiam e retornavam continuou, embora os sons de bombardeios fossem ouvidos ocasionalmente ao fundo. Eles estão acostumados aos surtos desse conflito de oito anos. Eles só esperam que nada mais sério apareça.

READ  Forças russas e ucranianas estão lutando na cidade principal