maio 23, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Presidente chinês Xi Jinping recebe recepção oficial na Sérvia

Presidente chinês Xi Jinping recebe recepção oficial na Sérvia
Comente a foto, O presidente sérvio Aleksandar Vucic (segundo a partir da direita) e sua esposa Tamara Vucic recebem o presidente chinês Xi Jinping e sua esposa Peng Liyuan em Belgrado

  • autor, Guy Delauney
  • Papel, BBC News, Belgrado

As bandeiras vermelhas começam no aeroporto Nikola Tesla, em Belgrado, e estendem-se ao longo da autoestrada até ao centro da capital sérvia.

Esta é a forma da Sérvia mostrar orgulho na sua “dura amizade” com a China – e saudar a visita de Xi Jinping a Belgrado.

No portão oeste da cidade, mais conhecido como Torre Jinx, há uma torre inteira coberta com as cores nacionais da China.

E, para garantir, há um outdoor da Hisense, fabricante chinesa de eletrodomésticos, que abriu uma fábrica de refrigeradores em Valjevo, no oeste da Sérvia, no ano passado.

Em algumas partes da Europa, o itinerário do presidente chinês pode ter causado espanto. Afinal de contas, não é invulgar que a Sérvia faça parte de uma viagem de três paragens conduzida por um líder internacional de tal estatura.

Mas a Sérvia tem vindo a aprofundar a sua relação com a China nos últimos anos, ao mesmo tempo que continua as negociações para aderir à União Europeia.

É provável que Xi aproveite a sua viagem para destacar as suas críticas à NATO. A sua visita coincide com o 25º aniversário dos ataques aéreos dos EUA à embaixada chinesa em Belgrado. Num editorial para o jornal sérvio Politika, o presidente explicou que as emoções em relação a este incidente continuam elevadas.

Este tipo de retórica ressoa na Sérvia, onde a grande maioria das pessoas se opõe à adesão à NATO. Este é o principal fator que torna bastante lógica esta parada na viagem europeia de Xi Jinping.

Fonte da imagem, Oliver Bonnick/Bloomberg

Comente a foto, A campanha de bombardeamento da NATO em 1999 teve como objectivo expulsar as forças sérvias do Kosovo.

Os contatos comerciais também são um fator. Os dois países assinaram um acordo de comércio livre no ano passado, com base na “Parceria Estratégica Abrangente” de 2016 – ano em que Xi Jinping visitou a antiga Sérvia.

A China afirma agora ser a maior fonte de investimento estrangeiro direto na Sérvia. A Hisense, juntamente com a mineradora Zijin e a fabricante de pneus Linglong, fornecem 20 mil, diz seu embaixador, Li Ming.

Na verdade, os números comerciais da ONU colocam a China em quinto lugar na lista de investimento directo estrangeiro, atrás da Alemanha, Itália, Estados Unidos e Rússia.

No entanto, o investimento chinês é notável – e provavelmente aumentará. A Sérvia acaba de receber os seus primeiros comboios elétricos chineses de alta velocidade. Eventualmente, irá circular ao lado de material circulante fabricado na Suíça na linha férrea Belgrado-Budapeste, que está a ser reconstruída com conhecimentos e financiamento chineses.

E isto é apenas o começo. O Ministro das Infraestruturas da Sérvia, Goran Vesic, diz que os parceiros chineses trabalharão noutras infraestruturas, incluindo estradas, pontes, túneis e saneamento. “Há realmente muito espaço para cooperação com empresas chinesas”, disse ele à rádio nacional sérvia RTS.

Fonte da imagem, Reuters/Aurelien Morisard

Comente a foto, Xi Jinping passou um dia chuvoso nos Pirenéus no final da sua visita à França

Observando que dentro de cinco anos o vinho sérvio não enfrentaria quaisquer tarifas de importação na China, Vucic disse à Televisão Central da China que o vinho sérvio “não era tão caro como costumava ser”. [those] na França” e que acreditava que o Sr. Xi “gostaria” de suas escolhas.

Esta pode ter sido uma crítica moderada a Emmanuel Macron, que recebeu Xi Jinping na primeira etapa da sua viagem à Europa. A oferta do presidente francês foi uma garrafa de conhaque Remy Martin Louis XIII, que custaria quase 5.000 euros em Belgrado.

Uma viagem aos Pirenéus também foi incluída na ofensiva de charme – para moderar os apelos de Macron e da Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para que Xi garanta um comércio mais equilibrado com a Europa e influencie o Presidente russo, Vladimir Putin, a pôr fim à guerra na Ucrânia.

Depois de Belgrado, a próxima paragem do Presidente chinês será Budapeste, onde se encontrará com o seu mais forte aliado entre os líderes dos Estados-membros da União Europeia, o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban.

O investimento chinês também é um factor forte neste país – com uma fábrica para o gigante de automóveis eléctricos BYD entre os projectos que sustentam a resistência de Orban ao consenso da UE sobre tudo, desde a imigração até ao fornecimento de armas à Ucrânia.