fevereiro 29, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Os cientistas afirmam que os antigos buracos negros podem mudar a órbita da Terra pelo menos uma vez a cada 10 anos e podem mudar a distância do nosso planeta ao Sol.

Os cientistas afirmam que os antigos buracos negros podem mudar a órbita da Terra pelo menos uma vez a cada 10 anos e podem mudar a distância do nosso planeta ao Sol.
  • Buracos negros primordiais do tamanho de uma molécula de hidrogênio podem ser matéria escura
  • Os PHBs poderiam ajudar a provar a existência de matéria escura, já que sua gravidade “oscila” na órbita da Terra
  • Mas o buraco negro primordial poderia engolir toda a Terra se chegasse muito perto
  • Leia mais: Animação da NASA mostra buracos negros ‘monstruosos’ à espreita em todas as galáxias

Os cientistas descobriram que alguns buracos negros antigos mudam a órbita da Terra.

Foi proposto por uma equipe do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Aglomerados rodopiantes de matéria, chamados buracos negros primordiais (PBHs), voam através do nosso sistema solar pelo menos uma vez a cada década, perturbando planetas e luas.

PBHs, que formaram sPouco depois do Big Bang, há 12,8 mil milhões de anos, eles têm aproximadamente o tamanho de um micróbio, mas são tão densos como um asteróide, o que pode fazer com que as órbitas “oscilem”.

A afirmação da equipe sugere que as distâncias dos planetas ao Sol ou à Terra podem mudar com o tempo.

Os buracos negros foram propostos em 1947 pelo astrofísico Stephen Hawking e seu aluno de doutorado Bernard Carr, que argumentaram que durante os primeiros momentos do Big Bang, regiões “aglomeradas” de massa extra poderiam ter se formado no universo e se transformado em buracos negros quando entraram em colapso. .

Mas os antigos buracos negros ainda não foram descobertos no universo.

O novo estudo baseia-se na teoria de que o universo está repleto de PBHs, o que significa que os objetos devem passar perto da nossa vizinhança cósmica.

Os físicos teóricos dizem que o universo está cheio de...

O universo está repleto de antigos “buracos negros primordiais”, que se formaram a partir de aglomerados de matéria em turbilhão logo após o Big Bang, e não a partir de uma estrela moribunda, dizem os físicos teóricos.

Os pesquisadores calcularam o quão perto o PBH chegou de um planeta ou lua em nosso sistema solar para alterar o movimento.

O estudo utilizou uma simulação que incluiu os oito planetas, cerca de 300 satélites planetários (como luas), mais de 1,3 milhão de asteroides e cerca de 4 mil cometas.

O modelo também incluiu PBHs desonestos.

A equipe percebeu isso Se um objeto com a massa de um asteróide chegasse a apenas duas unidades astronômicas do Sol, as órbitas dos planetas e das luas flutuariam vários metros.

No entanto, os pesquisadores observam que a oscilação não destruirá o nosso planeta.

READ  A “cidade perdida” nas profundezas do Oceano Atlântico é diferente de tudo que já vimos na Terra

Eles estão agora desenvolvendo métodos para medir oscilações gravitacionais, na tentativa de coletar as primeiras evidências concretas que comprovem a tão teorizada “matéria escura”.

Os físicos calculam há muito tempo que cerca de 85% de toda a matéria do Universo é matéria escura, mas nada disso foi descoberto.

Em essência, o seu plano é medir quaisquer “flutuações” na gravidade que alterem a distância da Terra à Lua, juntamente com muitas outras órbitas conhecidas dentro do nosso sistema solar, para determinar quais pequenas mas densas partículas de matéria escura estão a passar por nós.