outubro 6, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

O Telescópio James Webb tira uma imagem ao vivo do exoplaneta HIP 65426 b

O Telescópio James Webb tira uma imagem ao vivo do exoplaneta HIP 65426 b

Um exoplaneta, ou planeta fora do nosso sistema solar, é um gigante gasoso com uma massa cerca de seis a 12 vezes a de Júpiter. O planeta, chamado HIP 65426 b, tem cerca de 15 a 20 milhões de anos – apenas um pequeno planeta comparado aos 4,5 bilhões de anos da Terra.

Está localizado a 385 anos-luz da Terra.

O planeta pode ser visto em quatro faixas diferentes de luz infravermelha capturadas pelos vários instrumentos Webb. Webb vê o universo em luz infravermelha, que é invisível ao olho humano – e o torna o observatório espacial perfeito para revelar detalhes sobre mundos distantes.

“Este é um momento transformador, não apenas para Webb, mas também para a astronomia em geral”, disse Sasha Hinckley, professora associada de física e astronomia da Universidade de Exeter, no Reino Unido, em um comunicado.

Hinckley liderou as notas em uma colaboração internacional.

Um exoplaneta foi descoberto pela primeira vez em 2017 usando o Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul e o instrumento SPHERE localizado no Chile. O instrumento capturou imagens do planeta em comprimentos de onda infravermelhos curtos, mas a capacidade do Webb de ver comprimentos de onda infravermelhos mais longos pode lançar luz sobre novos detalhes.

Os cientistas estão analisando os dados do Webb para o HIP 65426 b e um próximo estudo será submetido a periódicos para revisão por pares.

Um exoplaneta está cerca de 100 vezes mais distante de sua estrela hospedeira do que a Terra está do Sol, o que permitiu que Webb e seus instrumentos separassem o planeta de sua estrela. Alguns instrumentos do Webb estão armados com vértices ou máscaras que podem bloquear a luz das estrelas, permitindo que o telescópio capture imagens diretas de exoplanetas.

READ  Novos mapas incríveis da psique de asteroides revelam um mundo antigo de metal e rock

As estrelas são mais brilhantes que os planetas e, neste caso, o HIP 65426 b é mais de 10.000 vezes mais fraco que sua estrela hospedeira em luz infravermelha próxima.

NASA revela novas imagens do Telescópio Webb de estrelas, galáxias e exoplanetas

“Conseguir esta imagem foi como uma caça ao tesouro no espaço”, disse Erin Carter, chefe de análise de imagens e pesquisadora de pós-doutorado da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, em um comunicado. “Inicialmente, tudo o que eu conseguia ver era a luz que vinha da estrela, mas através de um cuidadoso processamento de imagem, consegui remover essa luz e descobrir o planeta.”

Enquanto o Telescópio Espacial Hubble foi o primeiro a obter imagens diretas de exoplanetas, a exploração infravermelha de exoplanetas de Webb está apenas começando. Compartilhe o telescópio já em O primeiro espectro de um exoplaneta descobrindo uma assinatura de água em sua atmosfera E a Encontrou a primeira evidência clara de dióxido de carbono na atmosfera de um exoplaneta.

E o observatório espacial só começou a fazer observações científicas neste verão.

“Acho que a coisa mais emocionante é que estamos apenas começando”, disse Carter. “Há mais imagens dos próximos exoplanetas que irão moldar a nossa compreensão geral da física, química e morfologia. Podemos descobrir planetas anteriormente desconhecidos também.”