abril 14, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

O presidente nigeriano suspende o ministro dos Assuntos Humanitários do trabalho num escândalo de corrupção Notícias sobre corrupção

O presidente nigeriano suspende o ministro dos Assuntos Humanitários do trabalho num escândalo de corrupção  Notícias sobre corrupção

Beta Edo e o seu antecessor estão a ser investigados por transações financeiras suspeitas no Ministério dos Assuntos Humanitários.

O Presidente nigeriano suspendeu na segunda-feira o Ministro dos Assuntos Humanitários e Alívio da Pobreza do país devido à utilização de uma conta bancária privada nas transacções financeiras do ministério no âmbito do programa de bem-estar social do governo.

Beta Edo foi suspenso com efeito imediato enquanto a Agência Anticorrupção da Nigéria conduz uma “investigação completa” sobre todas as negociações financeiras do ministério, disse o porta-voz presidencial, Ajuri Ngilali, num comunicado. Ela acrescentou que a investigação se estenderia a todo o quadro dos programas de investimento social na Nigéria.

O Presidente Bola Tinubu assumiu o poder no ano passado prometendo reprimir a corrupção na Nigéria, apesar dos pontos de interrogação de longa data sobre a origem da sua riqueza e dos seus antecedentes educacionais. Um mês após a sua posse, suspendeu indefinidamente o chefe da Comissão de Crimes Económicos e Financeiros (EFCC) sob a acusação de abuso de poder.

O seu governo disse que a suspensão segue o seu compromisso de “manter os mais elevados padrões de integridade, transparência e responsabilidade” na forma como os recursos da Nigéria são geridos.

O comentário de Edo surge dias depois de os meios de comunicação locais terem apontado para um memorando oficial determinando que as doações no valor de 585 milhões de nairas (663 mil dólares) destinadas a grupos vulneráveis ​​deveriam ser pagas numa conta especial – uma decisão que o gabinete do ministro disse ter seguido o devido processo. O ministro negou qualquer irregularidade.

Num país onde as medidas de austeridade do governo aumentaram a pressão sobre milhões de pessoas que enfrentam níveis extremos de pobreza, muitos nigerianos criticaram a utilização de uma conta bancária privada para o programa de subvenções e apelaram à demissão do ministro.

READ  Autoridades iranianas prendem a atriz vencedora do Oscar

O Gabinete do Contabilista Geral da Federação Nigeriana afirmou num comunicado que estes fundos se destinam a ser enviados directamente das contas do governo para os beneficiários.

Entretanto, a antecessora de Edo, Sadiya Umar Farouq, apresentou na segunda-feira um relatório à Comissão de Crimes Económicos e Financeiros durante uma investigação sobre alegada corrupção no desembolso de fundos públicos durante o seu mandato como ministra. Farouk disse nas redes sociais que esteve presente no gabinete da autoridade “para prestar esclarecimentos sobre algumas das questões que a autoridade está a investigar”.