junho 13, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Mais ataques aéreos em Gaza hoje, enquanto a ajuda humanitária continua presa no Egito

Mais ataques aéreos em Gaza hoje, enquanto a ajuda humanitária continua presa no Egito

israelense Ataques aéreos em Gaza Isto continuou um dia depois de o Presidente Biden ter visitado Tel Aviv e ter oferecido o seu forte apoio aos líderes e ao povo do país, enquanto o Estado judeu luta com as duras realidades da sua guerra contra os militantes do Hamas. Tensão na região Ainda estava aumentando na quinta-feira devido aos contínuos ataques israelenses em Gaza – e aos relatos conflitantes sobre o que aconteceu no Hospital Al-Ahli na cidade de Gaza na noite de terça-feira, onde autoridades palestinas dizem que uma explosão matou centenas de pessoas.

Autoridades americanas e israelenses, incluindo o Sr. Biden Ele disse quarta-feira Esta evidência indica que a explosão foi causada por um míssil lançado pelo movimento Jihad Islâmica Palestiniana que não atingiu o seu alvo, mas muitos na região ainda atribuem a culpa deste massacre ao exército israelita.

Os protestos eclodiram em todo o Médio Oriente na sequência da explosão mortal, incluindo na Tunísia, Bahrein, Egipto, Líbano e Marrocos. Nas manifestações na Cisjordânia ocupada por Israel, autoridades palestinas disseram que as forças israelenses atiraram e mataram dois adolescentes. O exército israelense disse que estava estudando o relatório.

Biden apoiou o direito de Israel de esmagar o Hamas, que governa a Faixa de Gaza há quase duas décadas, mas exortou os israelitas a não se enfurecerem, alertando que as decisões tomadas em tempo de guerra sem uma consideração cuidadosa levariam a erros.


O que a viagem de Biden a Israel conseguiu?

O Presidente dos EUA obteve o compromisso de Israel de parar de bombardear a área em torno da passagem fronteiriça egípcia de Rafah com a Faixa de Gaza, para que a tão necessária ajuda humanitária possa fluir para a Faixa pela primeira vez desde que Israel impôs um bloqueio total em 7 de Outubro.

Mas ainda não estava claro na quinta-feira quando a fronteira seria aberta e, em vez de ajuda, os mísseis israelenses ainda atingiam os dois milhões de residentes de Gaza. Um prédio de apartamentos a poucos metros do Hospital Al-Quds, na cidade de Gaza, foi bombardeado na quarta-feira, fazendo com que equipes médicas e civis fugissem para se abrigar no interior.

Até quinta-feira, autoridades de saúde em Gaza controlada pelo Hamas afirmavam que os ataques israelenses mataram quase 3.800 pessoas e feriram quase 12.500 outras, a maioria delas mulheres e crianças. Este número inclui mais de 470 pessoas que teriam morrido na explosão do hospital, que Israel nega ter causado.

Em Israel, as autoridades dizem que o ataque do Hamas matou cerca de 1.400 pessoas e feriu outras 3.500.

Acompanhe os últimos desenvolvimentos abaixo e você poderá Clique aqui Para acompanhar os eventos a partir de quarta-feira.

READ  Os palestinianos em Gaza iniciam o Ramadão à medida que a fome piora e não há fim à vista para a guerra entre Israel e o Hamas.