maio 24, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Israel concorda com a “proposta de transição” dos EUA relativamente à troca de prisioneiros e reféns e aguarda a resposta do Hamas, segundo um analista da CNN.

Israel concorda com a “proposta de transição” dos EUA relativamente à troca de prisioneiros e reféns e aguarda a resposta do Hamas, segundo um analista da CNN.

Carlos Garcia Rollins – Reuters

Manifestantes pedem a libertação dos reféns israelenses detidos pelo Hamas durante um protesto em Tel Aviv em 17 de março de 2024.



CNN

Israel concordou com uma “proposta aproximada” dos EUA sobre quantos prisioneiros palestinos seriam libertados para cada refém detido pelo Hamas, disse o analista da CNN Barak Ravid. Ele disse no sábado, dia 10Citando um alto funcionário israelense não identificado.

Israel concordou com a proposta apresentada pelo diretor da CIA, Bill Burns, segundo o Rapid. Burns esteve em Doha, no Qatar, onde o Hamas e Israel mantêm conversações através de mediadores.

Rapid disse que as delegações aguardam agora a resposta do Hamas.

Uma fonte diplomática familiarizada com o assunto confirmou à CNN a veracidade da informação, mas disse que ainda permanecem questões pendentes, incluindo a entrada de ajuda e o “reposicionamento militar israelita” em Gaza.

A CNN entrou em contato com autoridades israelenses e do Hamas sobre o andamento das negociações.

Não está claro quais mudanças foram feitas no número de prisioneiros palestinos. A última proposta apresentada pelo Hamas este mês prevê a libertação de entre 700 e 1.000 prisioneiros palestinianos. Israel naquela época Descreva as demandas Como “ridículo” e “ridículo”.

A expectativa é que o acordo, caso ocorra, tenha múltiplas etapas. Na primeira fase, o Hamas propôs libertar mulheres reféns – incluindo soldados israelitas –, idosos, doentes e feridos. Acredita-se que esse número seja de cerca de 40 dos cerca de 100 reféns ainda vivos.

O diretor do Mossad, David Barnea, juntamente com uma delegação de segurança israelense de alto nível, visitaram Doha duas vezes esta semana para conversações.