abril 15, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Homem paralisado volta a andar usando implantes que conectam cérebro à coluna

Homem paralisado volta a andar usando implantes que conectam cérebro à coluna

Um homem de 40 anos cujas pernas ficaram paralisadas em um acidente de bicicleta há 12 anos pode andar novamente com um implante de cérebro e medula espinhal.

A interface cérebro-espinal (PSI) está estável há um ano, permitindo que Gerd-Jan Oskom fique de pé, caminhe, suba escadas e atravesse terrenos complexos. Um estudo publicado na quarta-feira na revista Nature. Oskom recupera algum controle sobre as pernas quando o PSI é desligado.

“Meu desejo era voltar a andar e acreditei que era possível”, disse Oskom durante entrevista coletiva.

Oskom sofreu um acidente na China e achou que conseguiria a ajuda de que precisava quando chegasse à Holanda, mas Oskom disse que a tecnologia não era boa o suficiente na época.

A Oscom participou anteriormente dos experimentos do neurocientista Grégoire Courtin, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, que também trabalhou na nova pesquisa, de acordo com os autores do estudo. Em 2018, a equipe de Kort descobriu que a tecnologia pode estimular a parte inferior da coluna e ajudar as pessoas com lesões na medula espinhal a andar novamente. Três anos depois, o progresso da Oscom melhorou.

Para o estudo mais recente, a equipe de pesquisa restaurou a conexão entre o cérebro de Oscam e a medula espinhal com uma ponte digital. Oskom participou de 40 sessões de neurorreabilitação ao longo do estudo. Ele disse que agora pode caminhar pelo menos 100 metros (328 pés) ou mais, dependendo do dia.

Gerd-John Oskom pode andar com a ajuda de uma ponte digital que conecta seu cérebro e medula espinhal.

CHUV / Gilles Weber


“Capturamos os pensamentos de Gert-John e os traduzimos em estimulação da medula espinhal para restabelecer o movimento voluntário”, disse Gordin.

Os pesquisadores disseram que o próximo passo seria miniaturizar o hardware necessário para operar a interface. Atualmente, a Oscom o carrega em uma bolsa. Os pesquisadores estão trabalhando para ver se dispositivos semelhantes podem restaurar o movimento da mão.

Houve muitos avanços no tratamento da lesão medular nas últimas décadas. Um estudo publicado na Nature em fevereiro descobriu que pulsos elétricos direcionados entregues à medula espinhal podem ajudar Melhorar o movimento do braço e da mão após o AVC.

Os pesquisadores que ajudaram a Oscam acreditam que a tecnologia que eles usaram pode restaurar o movimento dos braços e mãos no futuro. Eles também acham que, com tempo e recursos, poderiam usar a descoberta para ajudar pacientes com AVC.

READ  Qualidade do ar piora novamente com o retorno da fumaça dos incêndios florestais canadenses aos EUA