maio 27, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Fontes disseram que a União Europeia vai propor a proibição das importações de carvão russo

Fontes disseram que a União Europeia vai propor a proibição das importações de carvão russo

O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu à União Europeia que proíba o carvão russo como parte de uma nova onda de sanções para isolar ainda mais o Kremlin.

Frank Rampenhorst | Foto Aliança | Imagens Getty

Luxemburgo – A Comissão Europeia vai propor a proibição do carvão russo como parte de uma nova rodada de sanções contra o Kremlin por sua invasão não provocada da Ucrânia.

Dois funcionários da UE, que não quiseram ser identificados devido à sensibilidade das negociações, disseram à CNBC na terça-feira que o braço executivo da UE proporia que o carvão fosse incluído nas sanções.

A imposição de sanções ao setor energético russo tem sido um desafio para a União Europeia devido ao alto nível de dependência que alguns estados membros têm do abastecimento energético do país.

De acordo com dados do Instituto Europeu de Estatística, a União Europeia importou 19,3% de seu carvão da Rússia em 2020. Importou 36,5% de seu petróleo do país no mesmo ano e 41,1% de seu gás natural.

No entanto, Provas crescentes para crimes de guerra cometidos por forças russas na Ucrânia A Comissão pressionou por uma proposta para adicionar carvão ao quinto pacote de sanções contra Moscou.

Na quarta-feira, os embaixadores europeus vão discutir o novo conjunto de medidas. A aprovação final das sanções não ocorrerá até depois das negociações, e as propostas ainda podem ser alteradas antes da reunião dos embaixadores.

Tem havido uma pressão crescente sobre a Europa para atingir o setor de energia russo, particularmente porque as nações importadoras de energia continuam a reforçar o fundo de guerra do presidente Vladimir Putin com receitas de petróleo e gás diariamente.

READ  Macron diz que França encerrará sua presença militar no Níger até o final de 2023

No entanto, a questão divide a União Europeia, com alguns países apoiando a proibição das importações de energia russa, enquanto outros argumentam que tal medida prejudicaria suas economias mais do que a Rússia.

Por exemplo, o presidente francês Emmanuel Macron disse, na segunda-feira, que o bloco deveria seguir em frente com a imposição de sanções ao petróleo e carvão russos após relatos de atrocidades em cidades próximas à capital ucraniana, Kiev.

No entanto, a Alemanha parece menos convencida de que tal movimento é possível, especialmente quando se trata de fornecimento de gás natural.

“Queremos ser, [in the] “Em pouco tempo, menos dependente das importações de energia russa para a UE, a Alemanha apoiará mais sanções contra a Rússia”, disse o ministro das Finanças alemão, Christian Lindner, à CNBC em Luxemburgo na segunda-feira.

“Temos que colocar mais pressão sobre Putin e temos que isolar a Rússia – temos que cortar todos os laços econômicos com a Rússia, mas no momento o fornecimento de gás não pode ser cortado.”