abril 14, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Dina Boluarte: O “caso Rolex” vê a polícia peruana invadir o palácio presidencial por causa dos 14 relógios de luxo do líder

Dina Boluarte: O “caso Rolex” vê a polícia peruana invadir o palácio presidencial por causa dos 14 relógios de luxo do líder

Juan Carlos Cisneros/AFP/Getty Images

A operação concentrou-se na coleção de relógios de luxo do presidente.



CNN

A polícia armada no Peru invadiu o palácio do governo e a casa particular da presidente Dina Bolwart em busca de relógios Rolex e outros relógios de luxo como parte de uma investigação preliminar de corrupção.

A Reuters informou que a polícia arrombou a porta de sua casa na noite de sexta-feira, depois que as autoridades aparentemente ignoraram as ordens para abri-la.

A investigação foi realizada pelo meio de comunicação peruano La Encerrona sobre os relógios de Buluarte. Depois de rever milhares de fotografias do Presidente, A incerona Ele determinou que Bulwarti possuía pelo menos 14 relógios de luxo.

Desde então, a mídia peruana apelidou o incidente de “Caso Rolex”.

Bolart negou qualquer irregularidade antes da operação, dizendo que tudo o que ela possuía era resultado dela Seu trabalho duro.

“Cheguei ao palácio presidencial com as mãos limpas e sairei com as mãos limpas, como prometi ao povo peruano”, disse ela.

O escritório de Pollart disse em comunicado na manhã de sábado que as buscas foram concluídas “sem incidentes”. Seu advogado, Mateo Castañeda, disse à rádio peruana RPP que a presença policial era excessiva e tinha como objetivo “dar um show”. Ele acrescentou que a polícia tirou fotos por cerca de 10 horas, mas não conseguiu confirmar as marcas.

Pollart deve testemunhar perante o gabinete do promotor no próximo mês, disse Castañeda.

Sebastián Castaneda/Reuters

Bolwarti negou qualquer irregularidade e seu advogado descreveu as batidas como excessivas.

Os aliados políticos do presidente também foram rápidos em defendê-la, considerando o ataque excessivo.

O primeiro-ministro Gustavo Adrianzen disse numa entrevista ao CHP que a operação, que ocorreu tarde da noite durante um feriado, foi um ataque à dignidade do presidente, enquanto o ministro da Justiça, Eduardo Arana, disse aos jornalistas que as buscas eram inconstitucionais.

READ  Um funcionário diz que uma falha no sistema de sinalização levou a um acidente de trem que matou 275 pessoas na Índia

Nos últimos anos, o Peru tem testemunhado instabilidade política, à medida que um presidente após outro foi deposto devido a alegações de corrupção ou irregularidades políticas.

Boluarte foi sucedido por Pedro Castillo, ex-professor e líder sindical da zona rural do Peru. Em dezembro de 2022. Castillo sofreu impeachment e foi destituído do cargo após tentar dissolver o Congresso e formar um governo de emergência – uma tática que os legisladores criticaram como uma tentativa de golpe.

Ele foi então acusado de rebelião e conspiração, acusações que nega.

A eleição de Castillo seguiu-se a uma série de líderes emergenciais e temporários após a queda do ex-presidente Martin Vizcarra. Que sofreu impeachment por acusações de corrupção em novembro de 2020. O antecessor de Vizcarra, Pedro Pablo Kuczynski, renunciou em 2018 Por causa de um escândalo de corrupção O enorme conglomerado brasileiro Odebrech. O presidente antes de Kuczynski, Ollanta Humala, enfrenta atualmente julgamento por lavagem de dinheiro. Humala se declarou inocente.