julho 22, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Descoberta de antigo réptil semelhante a um crocodilo chamado ‘pseudosuchiano’

Descoberta de antigo réptil semelhante a um crocodilo chamado ‘pseudosuchiano’

A história da Terra contém muitas criaturas fascinantes, algumas das quais continuam a confundir os especialistas até hoje, como os pseudópodes.

Um exemplo dessas criaturas é a recentemente descoberta nova espécie de réptil predador, localizada no coração do Brasil, que constitui um acréscimo digno de nota aos contos terciários.

Esta última descoberta lança luz sobre uma antiga linhagem de répteis semelhantes a crocodilos, conhecidos como pseudo-répteis, que foram nomeados Parvosuchus orelloiAgora, vamos embarcar numa viagem para compreender estes “falsos crocodilos” e o seu papel no passado do nosso planeta.

Contos terciários de pessoas semelhantes a Suici

Antes mesmo de os dinossauros aparecerem no palco, os falsos dinossauros estavam pavoneando-se pela superfície da Terra diante dos olhos de todos. Eles habitaram nosso planeta há aproximadamente 252 a 201 milhões de anos, durante o Período Terciário, e foram os répteis quadrúpedes mais difundidos da época.

A sua existência é melhor descrita por aqueles que estavam no topo da cadeia alimentar – as enormes sociedades carnívoras.

ao mesmo tempo, Insetos delgadosParentes menores desses predadores participaram desse período, com vestígios deles conhecidos em regiões como China e Argentina.

O herói da nossa história, Rodrigo Müller, um cientista brasileiro, deu cor à nossa compreensão dos organismos parasitas. Vamos nos aprofundar neste tópico.

Os Sudosoukians eram um clã maravilhoso

Os pseudocrocodilos, ou “falsos crocodilos”, pertencem a um grupo diversificado de arcossauros, irmãos de pássaros e crocodilos modernos e seus parentes extintos.

Eles prosperaram, diversificaram-se e adaptaram-se, exibindo uma variedade de tamanhos, formas e estilos de vida tão diversos quanto os ambientes em que viviam. Eles podem ser classificados em alguns grupos proeminentes:

  • AetosauriaCriaturas herbívoras com armadura pesada, conhecidas por seus corpos largos e achatados e pernas curtas.
  • Aves da famíliaOs “crocodilos aviários”, uma combinação interessante de características de pássaros e crocodilos, eram provavelmente predadores ativos.
  • RayoshidaiOs verdadeiros gigantes do seu tempo, eram grandes predadores com membros poderosos e mordidas terríveis.
  • Crocodilomorfo:Os ancestrais dos crocodilos de hoje, que inicialmente eram pequenos e terrestres, mas depois evoluíram para habilidades semiaquáticas.
READ  Astrônomos descobrem um planeta alienígena "proibido" que não deveria existir

Anatomia da adaptabilidade antiga

Os homópodes exibem uma surpreendente variedade de características anatômicas que exemplificam sua adaptabilidade e sucesso evolutivo. O formato de seus crânios e dentes indicava a diversidade de suas dietas e estilos de vida.

As espécies predadoras tinham dentes afiados e serrilhados para rasgar a carne, enquanto as espécies herbívoras tinham dentes planos para triturar o material vegetal.

Da mesma forma, as estruturas dos membros variavam muito com base no estilo de vida. Por exemplo, os raeosuchídeos tinham membros fortes em forma de coluna que se adequavam ao seu estilo de vida predatório baseado em terra. Por outro lado, os primeiros membros dos crocodilos eram mais finos, adequados tanto para a terra como para a água.

Outra característica importante observada em muitos pseudo-répteis, especialmente nos aetossauros, é a presença de uma extensa armadura corporal composta por placas ósseas, ou ossos dérmicos. Esses escudos não apenas forneciam proteção, mas também podem ter desempenhado um papel na regulação da temperatura.

O ecossistema tripartido e os papéis parassociais

Os pseudo-dinossauros não apenas sobreviveram, mas também floresceram em diferentes ambientes ambientais. Espécies como os reosuchídeos eram os predadores dominantes em terra, enquanto os dinossauros aetossauros eram os principais herbívoros em seu ecossistema. Alguns pseudo-dinossauros até desfrutavam de uma dieta holística ou generalista.

Infelizmente, a maioria dos pseudodinossauros desapareceu no final do Terciário, devido a uma combinação de atividade vulcânica, alterações climáticas e competição com arcossauros emergentes, como os primeiros dinossauros.

No entanto, a linhagem dos crocodilos continuou e evoluiu para o grupo de crocodilianos que vemos hoje.

Nova descoberta brasileira: Parvosuchus orelloi

Voltemos à nossa recente descoberta feita por Rodrigo Müller. Ele encontrou uma nova espécie de tartaruga marinha a partir de um exemplar localizado na Formação Santa Maria, no Brasil.

READ  Cientistas descobriram ondulações sísmicas na galáxia espiral mais antiga

O esqueleto parcial tem aproximadamente 237 milhões de anos e consiste em um crânio completo, 11 vértebras dorsais, parte da pelve e membros parcialmente preservados.

Um antigo réptil semelhante a um crocodilo chamado Parvosuchus aurelioi, um réptil semelhante a um parvosuchus. Crédito da imagem: Matheus Fernandes

batismo Parvosuchus orelloiO nome é uma homenagem ao paleontólogo amador Pedro Lucas Porcella Aurelio, que encontrou o material fóssil.

Estima-se que esta pequena criatura parecida com um crocodilo tenha menos de um metro de comprimento e mandíbulas longas e delgadas, cheias de dentes pontiagudos e curvados para trás.

Esta surpreendente descoberta representa a primeira espécie desse tipo a ser confirmada no Brasil e chama a atenção para a surpreendente diversidade entre os pseudodinossauros durante o Terciário.

Do Terciário à era moderna

Esta viagem através do mundo Terciário e Sociano é um testemunho da rica e diversificada história da Terra.

Descoberta Parvosuchus orelloi A descoberta desses répteis no Brasil constitui um marco na revelação do enorme legado desses antigos répteis. Isso nos lembra a incrível biodiversidade que outrora agraciou as paisagens do nosso planeta, onde habitavam criaturas grandes e pequenas.

A compreensão derivada do estudo de organismos parasitas fornece insights sobre o passado ecológico do nosso mundo e demonstra a adaptabilidade e resiliência da vida.

À medida que continuamos a descobrir arquivos do passado da Terra, cada nova descoberta, por exemplo Parvosuchus orelloiEsta descoberta nos aproxima um passo da compreensão da maravilhosa estrutura da vida e de como ela evoluiu ao longo de milhões de anos.

O estudo completo foi publicado na revista Relatórios científicos.

———

Você gostou do que leu? Assine nossa newsletter para receber artigos interessantes, conteúdo exclusivo e as últimas atualizações.

READ  Marte tem um enorme reservatório de água que poderia encher o Mar Vermelho da Terra • Earth.com

Conheça-nos no EarthSnap, um aplicativo gratuito oferecido a você por Eric Ralls e Earth.com.

———