julho 22, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Atualizações ao vivo: resultados das eleições no Reino Unido; Trabalho a caminho de deslizamento de terra – pesquisa

Atualizações ao vivo: resultados das eleições no Reino Unido;  Trabalho a caminho de deslizamento de terra – pesquisa

A decisão do Reino Unido de dar ao Partido Trabalhista de centro-esquerda uma maioria parlamentar, de acordo com as sondagens, surge num momento em que a Europa está amplamente dominada pelo que alguns chamam de uma onda populista de direita.

Mês passado Eleições europeias Assistiu à eleição de um número histórico de legisladores de partidos de extrema-direita e de extrema-direita para o Parlamento Europeu. Os resultados causaram confusão, levando o presidente francês, Emmanuel Macron, a convocar eleições parlamentares no seu país natal, cuja primeira volta assistiu a um comício nacional de extrema-direita. Ganhou na semana passada.

Um governo de extrema direita foi formado na Holanda esta semana. A Itália tem sido liderada por um líder de extrema direita desde o governo do líder fascista durante a guerra, Benito Mussolini. Estas vitórias eleitorais e a perspectiva da direita populista no poder já não são uma surpresa nos países europeus.

Existem muitas razões para este aumento do populismo, na sua maioria limitadas a países individuais. Mas, de um modo mais geral, muitos países europeus estão a sofrer de economias lentas, elevada imigração e elevados preços da energia, devido à pressão para alcançar a neutralidade carbónica. A UE é frequentemente responsabilizada pelos problemas nacionais por políticos populistas e infunde oxigénio num discurso nacional cada vez mais eurocéptico.

Porque é que se espera que a Grã-Bretanha, o único país onde o eurocepticismo levou a um referendo sobre a adesão à UE, contrarie a tendência?

Apesar do número esperado de assentos, a direita britânica não está morta. O Partido Conservador, apesar da noite inegavelmente decepcionante, superou as expectativas em muitas sondagens durante a campanha, algumas das quais ficaram abaixo dos dois dígitos no parlamento.

READ  Uma previsão nublada aumentará a preocupação dos observadores do eclipse solar

Outro partido que desafia as expectativas das sondagens é o populista Reform UK, de direita, liderado pelos sofredores Conservadores, que são mais conhecidos hoje em dia pela sua amizade com o antigo Presidente dos EUA, Donald Trump. Antes disso, foi-lhe atribuído o mérito de tornar o Brexit possível, após décadas de campanha contra a adesão do Reino Unido à UE.

Todas as vitórias políticas de Farage até à data ocorreram sem que ele tivesse ocupado o cargo de Deputado ao Parlamento. Agora ele não tem apenas um assento, ele tem 12 colegas para lançar granadas contra o líder trabalhista Keir Starmer. Embora isto possa parecer pequeno em comparação com a maioria de três dígitos esperada por Starmer, Farage irá sem dúvida influenciar o debate sobre a direcção futura do Partido Conservador.

A divisão de Farage na direita pode, na verdade, ter ajudado Starmer a aumentar a sua maioria no parlamento. Uma peculiaridade curiosa da política britânica é que a percentagem de votos que um partido recebe não é necessariamente o número de assentos. Com a reforma a correr tão bem em muitos assentos onde os Trabalhistas acabarão por vencer, a extrema-direita não só será impossível de ignorar neste parlamento, como poderá facilmente ver a sua influência crescer ainda mais.

A Grã-Bretanha, tal como outros países europeus, sofre de muitos problemas. Se Starmer tropeçar como primeiro-ministro, há todas as hipóteses de a direita populista continuar a capturar a imaginação do público, como tem feito noutras partes da Europa.