novembro 29, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Atualizações ao vivo: a guerra da Rússia na Ucrânia

A Polônia está considerando construir “fortalezas” ao longo de sua fronteira com a região de Kaliningrado, disse Krzysztof Sobolewski, secretário-geral do partido governista Lei e Justiça (PiS), durante uma entrevista de rádio na terça-feira.

“Precisamos fortalecer nossas forças nesta área de fronteira [with Kaliningrad]. “Além disso, vamos pensar em construir fortificações fronteiriças adicionais, semelhantes às atualmente em vigor na fronteira polaco-bielorrussa”, disse Sobolewski à emissora de serviço público Polski Radio quando questionada sobre a possibilidade de a Rússia enviar “refugiados da Ásia. África” para a Polônia via Kaliningrado.

Espremido entre a Polônia e a Lituânia, Kaliningrado é um enclave russo que foi capturado pelas tropas soviéticas da Alemanha nazista em 1945 e se tornou território soviético como resultado do Tratado de Potsdam.

É a parte ocidental da Rússia e a única parte do país cercada por países da UE.

Em setembro, a mídia estatal russa TASS informou que Kaliningrado havia adotado uma política de “céu aberto” para “expandir a geografia dos voos da região e atrair novas transportadoras aéreas do Oriente Médio e da Ásia”, levando os políticos do PiS a retornar à retórica nacionalista. Referências ao uso de migrantes por Moscou como uma ferramenta para “guerra híbrida”.

As crises migratórias anteriores da Polônia: Em 2021, Varsóvia declarou estado de emergência depois que dezenas de milhares de migrantes tentaram usar a passagem de fronteira Bruski-Kuznica para atravessar da Bielorrússia para a Polônia.

Imigrantes – a maioria deles do Oriente Médio e da Ásia – ficaram retidos por semanas no lado bielorrusso da fronteira, onde enfrentaram um clima severo e falta de alimentos e cuidados médicos.

Líderes ocidentais acusaram o regime do presidente Alexander Lukashenko de criar uma crise migratória na fronteira leste da UE em retaliação a sanções contra abusos de direitos humanos.

READ  Senadores dos EUA apresentam projeto de lei que designa a Rússia como Estado patrocinador do terrorismo

Minsk negou repetidamente as alegações, culpando os países ocidentais pela travessia e maus-tratos de migrantes. A Rússia – o maior parceiro político e econômico da Bielorrússia – apoiou o modo como o presidente Lukashenko lidou com a crise de fronteira na época, negando qualquer envolvimento.

Laura Smith Spark, Antonia Mortensen e Anna Chernova contribuíram com reportagem.