julho 21, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Aprenda sobre o misterioso diamante do espaço sideral

Aprenda sobre o misterioso diamante do espaço sideral

A pedra, chamada lonsdaleita, tem uma dureza e resistência que superam as dos diamantes comuns. O mineral raro chegou aqui através de um meteorito, de acordo com uma nova pesquisa.

A revelação começou a surgir quando o geólogo Andy Tomkins, professor da Universidade Monash, na Austrália, estava fora do campo da classificação de meteoritos. O coautor do estudo, Alan Salk, estudante de doutorado e pesquisador da Universidade RMIT, na Austrália, disse ter encontrado um tipo estranho de diamante “curvo” em uma rocha espacial no noroeste da África.

Salk disse que Tomkins teorizou que o meteorito carregando Lonsdalite veio do manto de um planeta anão que existia cerca de 4,5 bilhões de anos atrás.

“O planeta anão foi então submetido a um choque catastrófico por um asteroide, que liberou a pressão e levou à formação desses diamantes realmente estranhos”, acrescentou.

Com métodos de ponta e possibilidades futuras, a descoberta é emocionante, disse Paul Acemo, professor de geologia e geoquímica da Caltech. Asimow não esteve envolvido no estudo.

“Ele está realmente aproveitando uma série de desenvolvimentos recentes em microscopia para fazer o que eles fizeram como fizeram”, disse Asimo.

A equipe conseguiu analisar o meteorito com a ajuda de microscopia eletrônica e técnicas avançadas de síncrotron, que fizeram mapas dos componentes do corpo espacial, incluindo lonsdaleita, diamante e grafite, de acordo com o estudo.

O diamante e a lonsdaleita podem ser formados de três maneiras. Pode ser através de alta pressão e temperatura por um longo período de tempo, é assim que os diamantes se parecem na superfície da Terra; choque de impacto de meteoro em alta velocidade; Ou liberando vapores de grafite fraturado que se prenderiam a um pequeno pedaço de diamante e se baseariam nele, disse Asimo.

READ  Uma incrível onda de choque de uma estrela rejeitada voando pelo espaço a 100.000 milhas por hora

Ele acrescentou que a forma como o mineral é formado pode afetar seu tamanho. Os pesquisadores deste estudo sugeriram que o terceiro método constituiu a maior amostra que encontraram.

“A natureza nos forneceu um processo para tentar replicar na indústria”, disse Tomkins em um comunicado à imprensa. “Acreditamos que a lonsdaleite pode ser usada para fazer peças de máquinas extra-rígidas se pudermos desenvolver um processo industrial que promova a substituição de peças de grafite pré-formadas por lonsdaleite.”

O que é isso exatamente?

Asimow disse muito antes desta descoberta, os cientistas debateram a existência de lonsdaleite.

“Parece ser uma afirmação estranha de que temos um nome para alguma coisa, e todos concordamos sobre o que é”, acrescentou, “mas há alegações na sociedade de que não é metal real, nem cristal real, que você pode ter uma escala macroscópica”.

Os cientistas identificaram pela primeira vez pedaços do metal em 1967, mas eles eram minúsculos – cerca de 1 a 2 nanômetros, o que é 1.000 vezes menor do que o encontrado na última descoberta, disse Salk.

O clima neste planeta exterior inclui nuvens metálicas e chuva feita de pedras preciosas

Asimow disse que encontrar uma amostra maior mostrou que a lonsdaleita não é apenas uma anomalia de outros diamantes.

Salk disse que diamantes comuns, como os diamantes que você vê em joias finas, são feitos de carbono e têm uma estrutura atômica cúbica. Como o material mais duro conhecido até hoje, também é usado na fabricação.

Ele acrescentou que a Lonsdalita também é feita de carbono, mas tem uma estrutura hexagonal incomum.

Salk disse que os pesquisadores modelaram a estrutura da lonsdaleita antes e teorizaram que a estrutura hexagonal poderia torná-la 58% mais dura que o diamante comum. Essa dureza pode tornar os diamantes espaciais raros um recurso valioso para aplicações industriais se os cientistas puderem encontrar uma maneira de usar o novo método de produção para produzir minerais grandes o suficiente.

READ  Sonda Gaia revela DNA estelar e 'terremotos estelares' inesperados | espaço

O que isso significa para nós?

Agora que os cientistas sabem sobre esse mineral, a descoberta levanta a questão de saber se eles podem replicá-lo.

A lua perdida explica a origem dos anéis de assinatura de Saturno

Salk disse que ferramentas como lâminas de serra, brocas de perfuração e locais de mineração precisam ser permanentemente duras e resistentes ao desgaste, para que um suprimento pronto de lonsdaleita possa fazê-las funcionar melhor. E agora com uma teoria científica confiável sobre como esses grandes depósitos se formaram, há um plano aproximado para fazer lonsdaleíta no laboratório.

A partir dessa descoberta, também podemos aprender mais sobre as interações do universo, disse Phil Sutton, professor sênior de astrofísica da Universidade de Lincoln, no Reino Unido. Sutton não estava envolvido na pesquisa.

Descobrindo a história de onde viemos e como evoluímos, ele acrescentou, é importante saber que os materiais foram trocados entre ambientes – mesmo entre sistemas solares.

Os cientistas nomearam Lonsdaleite em homenagem à cristalógrafa Dame Kathleen Lonsdale, que em 1945 se tornou uma das primeiras mulheres eleitas como Fellows da Royal Society of London.