maio 19, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A União Europeia nomeia e envergonha aqueles que fogem das sanções? – DW – 05/08/2023

A União Europeia nomeia e envergonha aqueles que fogem das sanções?  – DW – 05/08/2023

A União Européia está atualmente discutindo a questão da evasão de sanções na décima primeira rodada de sanções contra a Rússia devido a A guerra na Ucrânia. Conforme confirmado pelo porta-voz da Comissão Europeia, Eric Mamer, a Comissão apresentou novas propostas aos Estados membros na sexta-feira.

Desde a invasão russa total da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022E o Até agora, a União Europeia impôs 10 rodadas de sanções à Rússia. Isso inclui listas de indivíduos, proibições de exportação e importação, medidas setoriais no setor bancário e de transporte, bem como a proibição de voos russos no espaço aéreo da UE. Entre as sanções mais severas até agora estão um embargo ao petróleo bruto transportado por via marítima da Rússia e um teto para o preço do petróleo bruto e derivados de petróleo. No entanto, apesar dos amplos pacotes de sanções, A economia russa não encolheu Tanto quanto previsto pelas expectativas de 2022.

Um manifestante do lado de fora de Downing Street segura uma faixa pedindo a proibição total do gás russo em julho de 2022Foto: Vuk Valcic / Zumapress / aliança de imagem

Especialistas disseram que isso não era uma indicação de que as sanções não estavam funcionando. Mas criticaram o corte no setor de energia.

Desde então, a discussão se voltou para a questão da evasão de sanções, com mercadorias da UE sujeitas a proibições de exportação aparentemente ainda encontrando seu caminho para a Rússia.

“Os dados de comércio exterior disponíveis para nós indicam que os produtos sancionados pela UE são em grande parte exportados da UE… . Em um artigo publicado em fevereiro

Alguns detalhes já são conhecidos

Na segunda-feira, a Comissão Europeia confirmou que a questão da evasão de sanções será tratada no próximo pacote de sanções, mas se recusou a dar mais detalhes. No entanto, alguns itens já foram revelados.

READ  Um casal de cruzeiro norueguês fica preso em uma ilha africana depois que sua viagem fica presa

Segundo a Agência Alemã de Notícias (dpa), as propostas incluem antecipar a possibilidade legal de proibir a exportação de mercadorias para terceiros países suspeitos de burlar as sanções. Isso deve funcionar como um impedimento. Na próxima etapa, algumas exportações já poderiam ser impedidas, informou a agência de notícias dpa.

O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, explicou à imprensa suas ideias para evitar a evasão das sanções em fevereiro. Foto: Wolfgang Kumm / imagem aliança / dpa

Espera-se que seja dado especial destaque aos chamados produtos de dupla utilização, que podem ser utilizados tanto para fins civis como militares. Em fevereiro, ao apresentar o documento de seu ministério à imprensa, o ministro federal de Assuntos Econômicos e Ação Climática, Robert Habeck (Partido Verde), disse que produtos de alta tecnologia e outros produtos de uso duplo estavam sob escrutínio. Conforme relatado pela dpa, a proposta da Comissão Europeia menciona produtos de uso duplo como dispositivos com visão noturna, que podem ser úteis para caçadores, empresas de segurança ou combatentes armados.

O nome e a vergonha dos evasores?

Ao apresentar suas propostas para fortalecer a aplicação de sanções, o ministro Habeck admitiu que a Alemanha estava entre os que cometeram “clara evasão de sanções”. No entanto, ele evitou citar terceiros países ou empresas envolvidas. Até agora, houve uma relutância generalizada em nomear as empresas e países potencialmente envolvidos na evasão de sanções.

Conforme relatado pela agência de notícias políticas Politico, isso pode mudar com a próxima rodada de sanções. Segundo o órgão de comunicação social, a proposta do novo regime de sanções inclui a base legal para sancionar países terceiros, bem como um apêndice com espaço para recordar países e produtos específicos. Embora um alto funcionário da UE tenha confirmado a existência dessa lista de países à DW, eles acrescentaram que nenhum país está atualmente nela.

READ  "Pesadas perdas" quando a Divisão Aerotransportada Russa ataca a cabeça de ponte do Dnipro

Países terceiros em questão

Segundo fontes da agência de notícias Reuters, a União Europeia nomeou China, Turquia e Emirados Árabes Unidos, bem como países da Ásia Central e do Cáucaso como possíveis réus.

Esses países correspondem amplamente aos indicadores que os economistas forneceram ao DW em março. “As grandes suspeitas recairão sobre os países que não impuseram sanções à Rússia”, disse Maria Demirtzis, do instituto Bruegel. Em sua opinião, dois países principais foram importantes nesse aspecto – Türkiye e China.

Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, alertou a UE contra o “caminho errado”. Foto: Kyodo Alliance/foto

Conforme relatado pela agência de notícias dpa, especialistas da UE testemunharam que a Turquia está tomando medidas bastante decisivas para acabar com a impunidade.. Segundo a Reuters, sete empresas chinesas podem estar sujeitas a um congelamento de ativos na União Europeia, disseram diplomatas familiarizados com a proposta. Na segunda-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse que seu país insta a União Europeia a não seguir o “caminho errado” e que a China está pronta para tomar medidas para proteger seus direitos e interesses.

Em março, Beata Javorcik, economista-chefe do Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) e coautora de um estudo sobre dados comerciais, apresentou mais três nomes: Armênia, Cazaquistão e Quirguistão. Na época, nenhum desses estados respondeu ao pedido de comentário do DW.

No início deste ano, especialistas em políticas do Conselho Alemão de Relações Exteriores (DGAP) pediram uma estratégia de “nome e vergonha” para fortalecer a aplicação das sanções da UE. que isso Agora cabe aos Estados membros decidir se querem seguir esse caminho.

Embaixadores dos 27 estados membros da UE devem discutir a nova proposta na quarta-feira. Em Bruxelas, espera-se que essas negociações demorem.

READ  Caças da Marinha dos EUA bombardearam lançadores de mísseis Houthi no Iêmen, disseram autoridades

Editado por Marin Sass

Este artigo é uma atualização para artigo anterior Publicado por DW em 21 de março de 2023