maio 25, 2022

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A última guerra da Ucrânia: Emirados Árabes Unidos incentivam membros da OPEP a aumentar a produção de petróleo

A última guerra da Ucrânia: Emirados Árabes Unidos incentivam membros da OPEP a aumentar a produção de petróleo

O presidente da Ucrânia mobilizou na quarta-feira as forças armadas e os cidadãos de seu país para continuar a luta 14 dias após a invasão russa, enquanto instava as forças russas a “ir para casa”.

“Corajosos ucranianos”, disse Volodymyr Zelensky em um discurso televisionado à nação. “Perseveramos e inspiramos o mundo inteiro com nossa determinação”.

As forças russas “podem destruir as paredes de nossas casas, nossas escolas, nossas igrejas; [they] Pode esmagar empresas ucranianas”, disse Zelensky, referindo-se aos bombardeios e ataques aéreos contra edifícios civis e não militares.

“Mas [they] Você nunca alcançará nossa alma, nosso coração e nossa capacidade de viver livremente. E lutou com ousadia.

E Zelensky, em uma camisa militar, parecia muito mais relaxado e confiante do que nos primeiros dias da guerra. Ele falou enquanto as forças ucranianas repeliam as tentativas russas de tomar grandes cidades, incluindo a capital Kiev e Kharkiv no leste e Mykolaiv no sul.

“Você ainda tem chance de sobreviver”, disse Zelensky, dirigindo-se aos 200.000 soldados russos na Ucrânia. “Não vamos nos render. Porque esta é a nossa casa. Esta é nossa família e nossos filhos. Lutaremos até recuperarmos nossa terra e você ser totalmente responsável por todos os nossos mortos.”

“Você ainda pode ser salvo se simplesmente sair”, acrescentou.

Zelensky desafiou os Estados Unidos e a OTAN a bloquear a proposta da Polônia de enviar suprimentos de aviões de combate e exortou-os a “enviar aviões para nós”.

“Se o céu não estiver fechado, você também será responsável por este desastre”, repetiu, acrescentando que Kiev agradece à Polônia pela alternativa e “sua disposição de fornecer aeronaves de combate à Ucrânia”.