fevereiro 29, 2024

Minuto Mais

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A Alemanha assiste ao segundo dia de grandes protestos contra a extrema direita – DW – 21/01/2024

A Alemanha assiste ao segundo dia de grandes protestos contra a extrema direita – DW – 21/01/2024

Estima-se que 1,4 milhões de pessoas manifestaram-se na Alemanha contra a extrema-direita Partido Alternativa para a Alemanha (AFD) De sexta a domingo, segundo os organizadores do evento.

De sexta-feira até o fim de semana, manifestações foram convocadas em cerca de 100 locais em toda a Alemanha. Marchas foram realizadas no domingo em grandes cidades como Colônia, Munique e Berlim. Várias outras cidades alemãs, incluindo Cottbus, Dresden e Chemnitz, no leste, também planearam manifestações.

Em Berlim, cerca de 100 mil pessoas reuniram-se em frente ao Bundestag, ou câmara baixa do parlamento, segundo dados da polícia.

Protestos em Berlim centraram-se em torno do edifício do Reichstag no domingo Foto: Thomas Imo/Photothek/Image Alliance

A polícia de Munique disse que cerca de 80 mil pessoas participaram da marcha, enquanto os organizadores estimaram o número em 200 mil. A marcha foi cancelada devido à superlotação e os participantes foram convidados a se dispersar.

Entretanto, em Colónia, fontes policiais estimaram o número de manifestantes em cerca de 10.000.

Protestos massivos contra a extrema direita continuam na Alemanha

Este navegador não suporta o componente de vídeo.

Enormes manifestações em toda a Alemanha

Segundo estimativas da emissora pública ARD, o número de manifestantes atingiu cerca de 250 mil Eles se reuniram em cidades de todo o país no sábadoEles carregam cartazes como “Fora nazistas”.

Cerca de 35 mil pessoas reuniram-se em Frankfurt no sábado para participar numa marcha em “defesa da democracia”. Os manifestantes encheram a praça central, onde os organizadores planejavam realizar a marcha, além de uma segunda praça adjacente e das ruas intermediárias. A polícia disse que a manifestação foi pacífica.

Dezenas de milhares de pessoas manifestam-se contra a extrema direita na Alemanha

Este navegador não suporta o componente de vídeo.

Na sexta-feira, uma marcha em massa em Hamburgo teve de ser interrompida mais cedo, pois participaram muito mais pessoas do que o esperado. A polícia disse que foi o maior protesto do género até agora, com o número de participantes a atingir as 50.000 pessoas, e os organizadores estimaram o número em 80.000, observando que a manifestação terminou antes que muitos pudessem chegar até ela.

READ  Rússia diz que drones ucranianos atingiram Crimeia, Moscou e depósito de petróleo

As estimativas da polícia sobre o tamanho das multidões em outros protestos incluíram: 12.000 em Kassel, 7.000 cada em Dortmund e Wuppertal, 20.000 em Karlsruhe, pelo menos 10.000 em Nuremberg, cerca de 16.000 em Halle/Saale, 5.000 em Koblenz e vários milhares em Erfurt.

Por que tantas pessoas estão protestando agora?

Uma onda de mobilização eclodiu contra o partido de extrema direita Uma reportagem de 10 de janeiro do veículo investigativo CorrectivQue revelou que membros do partido AfD se reuniram com extremistas em Potsdam em Novembro para discutir a expulsão de imigrantes e “cidadãos não integrados”. Membros da conservadora União Democrata Cristã, o principal partido da oposição, também estariam presentes.

Os participantes da reunião discutiram “Reimigração” Um termo frequentemente usado em círculos de extrema direita como eufemismo para a expulsão de imigrantes e minorias.

A participação em Munique foi tão forte que os organizadores tiveram que interromper o protesto por razões de segurançaFoto: Sven Hoppe/DPA/Alliance Image

A notícia da reunião chocou muita gente na Alemanha, numa altura em que o partido Alternativa para a Alemanha ocupa uma posição elevada nas sondagens de opinião antes de três grandes eleições regionais na Alemanha Oriental, onde o partido tem os mais altos níveis de apoio. Chanceler Olaf SchulzEle, que se juntou a uma manifestação no fim de semana passado, disse que qualquer plano para expulsar imigrantes ou cidadãos é “um ataque à nossa democracia e, portanto, a todos nós”.

A AfD confirmou a presença dos seus membros na reunião, mas sublinhou que as suas propostas para restabelecer a imigração, que faziam parte do seu recente manifesto eleitoral, não incluem cidadãos alemães naturalizados. Estes comentários foram feitos na reunião por uma figura austríaca de extrema direita, Martin Sellner, que não é membro do partido Alternativa para a Alemanha.

READ  China abre fronteira com Hong Kong após três anos de controle rígido

DEA/RC (AFP, dpa)

Enquanto você está aqui: todas as terças-feiras, os editores da DW resumem o que está acontecendo na política e na sociedade alemãs. Você pode se inscrever aqui para receber o boletim informativo semanal por e-mail de Berlim.