População do Leite Unida. Foto: Elizete Gomes

Cerca de 200 moradores fizeram mais uma manifestação em Santo Antônio do Leite (distrito de Ouro Preto – MG) reivindicando a pavimentação de ruas de terra na comunidade e a diminuição do transporte de veículos pesados de empresas contratadas, por exemplo, pela Gerdau.

Foi o segundo protesto da comunidade e desta vez houve a cobertura da Record TV Minas. Segundo os moradores, a matéria vai ar segunda-feira (14), a partir do meio-dia, no Balanço Geral.

População é entrevistada pelo repórter André Rocha. Foto: Elizete Gomes

A população reclama de doenças respiratórias provocadas pela poeira e das rachaduras nas casas por causa do grande fluxo de caminhões pelas ruas de terra do Leite.

A manifestação que teve a cobertura do Balanço Geral aconteceu às 13h de terça-feira (1º de agosto).

Em nota ao Minuto Mais, a Gerdau afirmou que caminhões de empresas contratadas estão proibidos de passar por Santo Antônio do Leite.

Leia a nota da empresa na íntegra:

“A Gerdau esclarece que as transportadoras contratadas para fazer o carregamento para a empresa são proibidas de passar pelo distrito de Santo Antônio do Leite e estão sujeitas as sanções previstas no contrato. A Gerdau reitera que tomará as medidas cabíveis junto às contratadas e irá reforçar, com o apoio da Guarda Municipal, o cumprimento das orientações destinadas aos caminhoneiros e prestadores de serviço.”

É muita poeira fina típica da região. Pesadelo para qualquer dona de casa. Foto: Elizete Gomes

Contudo, a moradora Lucilene Alves disse que a situação ainda não mudou. “Os caminhões não podem passar, mas eles insistem por ser um caminho mais perto e para desviar dos pedágios. Sempre precisamos de um caminhão-pipa para molhar as ruas”, afirmou.

A moradora ainda garantiu que a situação atual também atinge o Centro Histórico da comunidade, incluindo igrejas e escolas.

Resposta da Prefeitura

Em depoimento ao Minuto Mais, o secretário de Obras da Prefeitura de Ouro Preto, Paulo César Morais, disse que a estrada de terra em questão é a MG-30 e que a Prefeitura não pode pavimentar um bem estadual. “Como iremos explicar isso ao Tribunal de Contas?”, questionou.

Moradores desesperados são entrevistadas. Foto: Elizete Gomes

Ele informou que o prefeito Júlio Pimenta teria levado a reivindicação da população de Santo Antônio do Leite à Brasília para tentar pressionar autoridades a atendê-la.

O secretário ainda afirmou que é possível um acordo entre Estado e Prefeitura para traçar um plano de metas em conjunto e sanar o problema.

Lucilene contesta parte da fala do secretário: “a estrada que estamos pedindo socorro, até o mata-burro, pertence sim à Prefeitura de Ouro Preto. Depois do mata-burro, aí sim, seria do Estado. Peço encarecidamente em nome dos moradores que a Prefeitura olhe com carinho para a situação porque o povo está sofrendo”.

Com base na fala do secretário, por meio do Gabinete Municipal, o Minuto Mais tentou contato com o prefeito Júlio Pimenta (PMDB) mandando a ele um e-mail no dia 31 de julho. Ainda não houve reposta.

Veja as perguntas enviadas pela reportagem ao prefeito de Ouro Preto e não respondidas:

Apesar de ser uma rodovia estadual (segundo o secretário de Obras de Ouro Preto), existe alguma perspectiva (plano) para a pavimentação da estrada que passa pelo bairro Alto Boa Vista, no Leite (OP)?

O senhor esteve em Brasília para tentar resolver este problema especificamente?

Para quando a população pode esperar por melhorias? 

E com relação ao trânsito de veículo pesado (que provoca rachaduras nas casas), o que a população pode esperar? 

Matéria atualizada às 23h19 de 3/8/2017

Leia também: Em ato, comunidade do Leite pede à Prefeitura de OP e à Gerdau mais respeito e o fim da poeira