Áureo Lopes (primeiro plano) e Renato Guima eram amigos, e tocaram juntos inúmeras vezes. Foto: reprodução de Facebook

O músico Renato Guima (57) e sua filha Renata Guimarães (29), que morreram em um acidente de carro na quinta-feira (4), serão sepultados em Belo Horizonte. O enterro será às 15h deste sábado (6), no Cemitério Parque da Colina.

O velório teve início nesta sexta-feira (5), às 23h, no mesmo local.

O carro em que pai e filha estavam foi atingido, na BR- 262, por uma árvore, em Manhuaçu (MG).

Renato foi um sucesso em Minas com a banda Lombinho com Cachaça e se apresentou várias vezes em Itabirito (MG).

Em seu perfil, no Facebook, o músico itabiritense Áureo Lopes, conhecido como Aurinho, fez uma homenagem ao amigo, com quem dividiu o palco várias vezes. Leia:

“Vou escrever um pouco sobre o Renato pra desfazer um pouco deste nó…

No fim dos anos 80, quando ainda não existia Skank, Jota Quest … a grande banda mineira era o “Lombinho com Cachaça”. Lembro-me que eles foram atração principal em várias festas em Itabirito. E faziam uma música brasileira de verdade. Os caminhos mercadológicos não permitiram que o Lombinho chegasse aos ouvidos de todo o Brasil, mas ver aquela banda no seu auge criativo me marcou muito. O carisma e musicalidade do Renato à frente do Lombinho chamavam a atenção.

Em 1998, já trabalhando com música profissionalmente na minha banda Ah! Karajazz/Moog Magoo tive o prazer de conhecer o Renato, que se tornou nosso produtor musical, e junto aos meus parceiros de banda, aprendemos muito com ele.

Passado alguns anos, fui convidado por ele pra fazer os shows com o Lombinho, já com uma outra proposta estética e comercial, mas o talento, liderança e carisma do Renato foi algo que me marcou profundamente. Em mais de 25 anos de música, pude conhecer e trabalhar com muitos cantores excelentes, mas o Renato era a personificação do “frontman” (líder). Ele tinha muito mais que presença de palco, era como se ele fosse o próprio palco, um iluminado.”

Acidente ganha a mídia

A morte de Renato Guima ganhou repercussão na imprensa mineira e nacional.

Segundo o jornal Estado de Minas, com base em depoimento do segundo-sargento Nemuel Quintão Loures, do Corpo de Bombeiros de Manhuaçu, as vítimas estavam em um Fox com placa de Belo Horizonte e seguiam no sentido BH-Manhuaçu. O acidente ocorreu no km 52, perto do distrito de Realeza.

“Uma árvore apodrecida, de grande porte, tombou sobre a rodovia atingindo o teto e esmagando os ocupantes do Fox. Duas pessoas no banco dianteiro vieram a óbito no local e no banco traseiro, a vítima teve ferimentos leves. As vítimas fatais são pai e filha, e a passageira, a mãe”, explicou o militar ao jornal de BH. 

Uma caminhonete Strada, que trafegava no sentido oposto, se envolveu no acidente, mas os ocupantes somente sofreram ferimentos leves.