PMMG diz que crise não afeta segurança e não descarta uso da força caso impedida de cumprir lei


Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (25), em Belo Horizonte (MG), o major Flávio Santiago garantiu que a falta de combustível em decorrência da greve dos caminhoneiros não afeta os trabalhos de Polícia Militar.

Segundo o major, na quinta-feira (24) foi instituído o Gabinete de Crise da Polícia Militar de Minas Gerais e implantada a Central de Escoltas. “Está sendo acompanhado pela PM o transporte de insumos essenciais à população”, disse ele.

Trata-se de medicamentos, oxigênio para hospitais e alimento para creches, por exemplo. E, inclusive, combustível para a frota da polícia.

O major afirmou que não é contra qualquer movimento desde que seja ordeiro, pacífico e respeite a Constituição. Ele não descartou o uso da força caso os insumos essenciais sejam impedidos pelos caminhoneiros de seguir viagem.

Veja vídeo acima enviado pela Assessoria de Comunicação da PM da Região dos Inconfidentes.

Deixe seu comentário: