PMMG diz que crise não afeta segurança e não descarta uso da força caso impedida de cumprir lei


Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (25), em Belo Horizonte (MG), o major Flávio Santiago garantiu que a falta de combustível em decorrência da greve dos caminhoneiros não afeta os trabalhos de Polícia Militar.

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

Segundo o major, na quinta-feira (24) foi instituído o Gabinete de Crise da Polícia Militar de Minas Gerais e implantada a Central de Escoltas. “Está sendo acompanhado pela PM o transporte de insumos essenciais à população”, disse ele.

Trata-se de medicamentos, oxigênio para hospitais e alimento para creches, por exemplo. E, inclusive, combustível para a frota da polícia.

O major afirmou que não é contra qualquer movimento desde que seja ordeiro, pacífico e respeite a Constituição. Ele não descartou o uso da força caso os insumos essenciais sejam impedidos pelos caminhoneiros de seguir viagem.

Veja vídeo acima enviado pela Assessoria de Comunicação da PM da Região dos Inconfidentes.