Estragos causados em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, em Minas Gerais (Foto: Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo)

A contratação dos trabalhadores (de Mariana e região, por exemplo) será feita por meio de cadastro via Sine de Mariana em data a ser divulgada.

Uma boa nova em meio à tragédia ambiental e social provocada, em 2015, pelo rompimento da barragem de Fundão, de rejeito de minério de ferro da empresa Samarco, em Mariana (MG).

As ações de recuperação das cidades atingidas devem gerar 12,7 mil empregos em Minas Gerais até 2020. Os trabalhos estão sendo organizados pela Fundação Renova, criada justamente para supervisionar a recuperação das cidades.

Para esclarecer os detalhes das frentes de trabalho a serem desenvolvidas, bem como para fazer a capacitação e o cadastramento dos fornecedores locais, no dia 9 de junho, às 8h, no Centro de Convenções, em Mariana, um encontro entre empresários interessados e a Fundação Renova acontecerá – confira no quadro abaixo onde acontecerão outros encontros.

No caso do encontro marianense, poderão participar empresários de Mariana e região (Itabirito e Ouro Preto, por exemplo) que se interessam pelos trabalhos de recuperação das cidades. Os encontros são abertos, gratuitos e têm o objetivo de preparar as micro e pequenas empresas ou pessoas que tenham interesse em novos negócios que abrangem as áreas de saúde, segurança, suprimentos, ações de transparência e planejamento financeiro.

A iniciativa será realizada em parceria com o Fiemg, o BDMG, o Sine, as CDLs locais e as associações comerciais. Essas entidades estarão nos eventos como consultores para esclarecer dúvidas e facilitar a estruturação das empresas.

Nos eventos, também haverá cadastramento das firmas. “A ideia é formar um banco de fornecedores locais para os processos de compras e contratações da fundação. Essas medidas têm o objetivo de garantir que os recursos investidos fiquem nas cidades impactadas e sejam revertidos em desenvolvimento econômico”, afirma o líder do programa de Estímulo à Contratação Local da Fundação Renova, Paulo Rocha.

Especificamente no caso do encontro do dia 9, uma das prioridades é fomentação de emprego local (em Mariana, no caso), mas certamente existe a possibilidade de as ações beneficiarem trabalhadores de cidades vizinhas.

Empregos em MG

A Fundação Renova realizou um mapeamento ao longo da bacia do Rio Doce, que traçou o perfil, as vocações e as potencialidades econômicas de cada cidade, de Mariana (MG) a Regência (ES). “A previsão inicial é de que sejam geradas pelo menos 12,7 mil vagas empregos no Estado até 2020, considerando as contratações diretas e indiretas para as ações de reparação e também para a rede de fornecedores. Os investimentos serão em ações de reassentamento, recuperação de nascentes, manejo de rejeitos, reflorestamento e tratamento de água e esgoto”, informou a Renova por meio de nota.

Ainda de acordo com a fundação, o trabalho abre espaço para novos negócios. O mapeamento indica que setores como construção civil, meio ambiente e reflorestamento, agronegócio, comércio e serviço têm forte potencial de desenvolvimento.

Para capacitar a mão de obra, a Fundação Renova firmou parceria com o Senai para fornecer cursos de capacitação gratuitos. “Na região de Mariana, por exemplo, esse trabalho de parceria já foi iniciado”, afirmou a fundação.

R$ 4,6 bilhões

De acordo com a Renova, a reconstrução deve movimentar R$ 4,6 bilhões em Minas Gerais até 2020. A premissa é utilizar 70% da mão de obra da própria região, além de destinar 50% do valor investido em contratações de empresas locais.

Atenção empresários para as datas dos encontros com a Fundação Renova  

Em Barra Longa – dia 07/06, às 15h, no Salão Paroquial.

Em Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado – dia 08/06, às 9h, na Câmara de Vereadores.

Em Mariana – dia 09/06, às 8h, no Centro de Convenções.

Em Governador Valadares – dia 22/06, às 8h, no Auditório ACGV.

Em Aimorés e Baixo Guandu – dia 23/06, às 8h, na Aciasa (Aimorés)