Renê e os gerentes da Mascarenhas após reunião na empresa. Foto: divulgação

Pela segunda vez, a empresa Mascarenhas Barbosa Rocoe Construções está atuando em Itabirito como empreiteira da Vale. Informações dão conta de que atualmente a firma já está com 100 funcionários. Todos foram contratados via Sistema Nacional de Emprego – Sine (de Itabirito). Extraoficialmente, sabe-se que a intenção é chegar a 170 funcionários.

Com base nisso, o vereador Renê Butekus (PSDB) foi até a empresa, no começo deste mês, conversar com os gerentes administrativos Nelson e Frederico e com o gerente de contrato Fábio.

O político pediu à empresa que priorizasse, durante dos trabalhos, a contratação de mão de obra itabiritense, bem como desse preferência a fornecedores locais.

Segundo o vereador, ele foi bem recebido e disse também que a empresa já adota esse tipo de política. “Penso que a Mascarenhas não esteja preocupada somente em lucrar dentro de Itabirito, acredito que seus dirigentes se preocupam com a cidade”, ponderou.

Informalmente, dentro da Mascarenhas, o Minuto obteve a informação de que todas as vagas disponíveis na empresa são ofertadas à população por meio do Sine. Ainda com base em informação extraoficial, a empresa não estaria aceitando empregados que não fossem moradores de Itabirito.

No Sine, para cada vaga, são selecionados cinco candidatos. Quando atinge esse número, a vaga é fechada, e a oferta pode retornar ao Sine (para a mesma vaga) se e somente se a empresa não ficar satisfeita com os cinco escolhidos.

Sabe-se que empregos da Mascarenhas foram ofertados recentemente pelo Sine. Contudo, no momento, há somente uma vaga disponível (de auxiliar de topografia).

Entretanto, mais vagas serão abertas (por meio do Sine). Isso quer dizer que a população deve ficar atenta.

MASCARENHAS NÃO RESPONDE

Durante 22 dias, o Minuto Mais tentou obter respostas da Mascarenhas a respeito do assunto.

A reportagem conseguiu uma autorização da Vale para que a empreiteira respondesse a perguntas. Tal autorização foi proposta pela Mascarenhas.

As questões colocadas pelo Minuto são de cunho informativo, sem polêmica de qualquer tipo.

Mesmo assim, depois que a Vale respondeu que as empreiteiras têm autorização para falar por si, informalmente, pelo telefone, um dos gerentes disse que as respostas estavam sendo avaliadas pela direção da firma e que, na sequência, teriam de passar pela Vale para, depois, serem encaminhadas ao Minuto Mais.

LEI DETERMINA QUE FIRMAS BENEFICIADAS PELA PREFEITURA PRIORIZEM EMPREGOS PARA ITABIRITENSES. NÃO É O CASO DA MASCARENHAS!

Existe uma lei municipal que estabelece que as empresas instaladas na cidade, que receberam ajuda do Município para abrir suas portas, devem ter entre seus empregados 80% de moradores de Itabirito.

Situação diferente das empreiteiras da Vale que não recebem benefícios municipais.

A Comissão de Indústria e Comércio da Câmara, presidida pelo vereador Max Fortes (PSB), inclusive, afirma que fará em 2019 uma série de visitas às empresas para saber se a lei está sendo cumprida.

Deixe seu comentário: