Com foco em desenvolvimento profissional, o programa Coletivo Jovem do Instituto Coca-Cola Brasil entregou, no dia 25 de abril, certificados aos 125 jovens participantes da segunda turma formada em Itabirito. Na cidade, o programa é realizado em parceria com a Coca-Cola FEMSA Brasil e a Agência de Desenvolvimento Econômico (Adesita).

No programa, jovens de 16 a 25 anos aprendem a elaborar um plano de vida e a desenvolver projetos práticos na comunidade onde vivem. Em 2019, está prevista a formação de aproximadamente 500 participantes em Itabirito.

O próximo ciclo de formação do Coletivo Jovem, em Itabirito, vai começar no dia 6 de maio. As matrículas podem ser feitas na Agência de Desenvolvimento de Itabirito (Adesita), localizada na rua Doutor Guilherme, 44, no Centro da cidade. É necessário que o jovem esteja com os seguintes documentos em mãos: duas fotos 3×4, xerox do RG e CPF, comprovante de escolaridade e residência e, se for menor de idade, deve ir acompanhado de um responsável. Mais informações pelo site www.coletivojovem.com.br ou telefone 0800-021-2121.

Segundo a analista de projetos sociais do Instituto Coca-Cola Brasil, Ana Paula Barreira, a edição do Coletivo Jovem em Itabirito é uma das mais bem-sucedidas de todo o país. “Foi uma das ações que mais formou jovens no Brasil e a procura foi grande”, constata. Ela conta que a atuação do educador do programa, Marco Tulio Viana, teve papel fundamental no sucesso da formação. “Procuramos sempre alguém que seja da própria comunidade e que tenha empatia com os jovens”, salienta.

Nesta semana, Marco Tulio assistiu à formatura da segunda turma de alunos sob sua coordenação. “Quando os meninos entravam em sala, eu dizia que eles precisavam sair melhor do que entraram. Eu vivi minha infância vendo heróis e quero seguir o caminho para ser um também”, destaca o educador. “Nossa meta é fazer com que os jovens acreditem nos seus sonhos e mudem a própria comunidade, a própria cidade e expandam essa ideia pro mundo.”

Além de ensinar o conteúdo do programa —voltado para comunicação, marketing e vendas e produção de eventos—, Marco Tulio também atua como incentivador dos estudantes. “Faço questão de demonstrar que todos eles são queridos, amados e têm voz. Sempre incentivo os alunos a espalharem boas ideias para o mundo e a não ficarem com o que eles aprendem guardado para eles mesmos”, destaca o educador. “Saio de casa todos os dias sabendo que é possível mudar o mundo. Quando pensamos dessa forma, tudo flui.”

Uma das formandas é a estudante Marcia Maria Silva, de 19 anos. A jovem, que conheceu o curso por indicação de amigos, reconhece o impacto da experiência em sua vida. “Eu prestava muita atenção no que o Tulio falava e agora tento seguir os conselhos que ele deu pra gente. Já quebrei um pouco a timidez e aprendi a agir em uma entrevista de emprego”, afirma. Cursando técnico em segurança do trabalho, Marcia tem hoje novas perspectivas. “Ali a gente aprende a se valorizar e a valorizar os sonhos que a gente tem. Somos incentivados a não desistir e a não parar de estudar. Como o Tulio nos ensinou, vou buscar novos caminhos”, projeta.

Aos 18 anos, Pablo dos Santos Inácio também concluiu, neste mês, o curso no Coletivo Jovem. Recém-formado no Ensino Médio, o jovem desenvolveu, no projeto, uma iniciativa de apoio a uma instituição de longa permanência de Itabirito. “Em um dos desafios da área de produção de eventos, criamos uma ação para beneficiar uma casa de repouso. Entramos em contato com um restaurante e sugerimos a promoção de um rodízio em que R$ 5 da entrada fosse destinado à casa”, conta o jovem. “Aprendi muito com essa experiência. A união e a solidariedade ficam como lições”, conclui.

Em Itabirito, o Coletivo Jovem é sediado na Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Itabirito (Adesita), uma parceria que tem sido fundamental para o sucesso do projeto na cidade. “Existe grande necessidade do município de se qualificar e de capacitar a mão de obra local. O Coletivo Jovem vem justamente para suprir essa necessidade e para atender o público jovem, que costuma enfrentar os desafios iniciais de inserção”, destaca o gerente executivo da Adesita, Denis Donato.

Ele aponta que, entre os participantes da primeira turma, formada no fim do ano passado, houve 20% de empregabilidade. “A tendência é que esse número aumente, uma vez que novas parcerias têm sido estabelecidas com o setor privado. Estamos muito satisfeitos com os resultados e com a qualidade do curso do Coletivo Jovem”, afirma. Neste ano, a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Itabirito também passa a integrar a lista de parceiros da iniciativa. “É uma ação importante, pois o comércio, muitas vezes, é o segmento que oferece as primeiras oportunidades de emprego para os jovens”, afirma o gerente da Adesita.

Resultados do Coletivo Jovem e inscrições para a terceira turma

Presente em cerca de 70 comunidades brasileiras, essa iniciativa nasceu em 2009 e é realizada pelo Instituto Coca-Cola Brasil em parceria com Coca-Cola FEMSA Brasil. No Coletivo Jovem, a metodologia desenvolvida possui 80% do conteúdo voltado para o desenvolvimento socioemocional dos jovens, garantindo que escolhas profissionais sejam tomadas de maneira planejada e estejam conectadas com um plano de vida maior. Em Itabirito, a perspectiva é de ampliar o atendimento para toda a região dos Inconfidentes, atendendo também municípios vizinhos, como Ouro Preto, Mariana e Congonhas.

“O Coletivo é muito importante para a inserção no mercado de trabalho e inclusão social dos jovens de Itabirito”, afirma a gerente de Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola FEMSA Brasil, Wanessa Scabora. Ela destaca que o programa reforça o compromisso da empresa, que é baseado em três grandes pilares: Nossa Gente, Nossa Comunidade e Nosso Planeta, com a visão de transformar positivamente as comunidades. 

Deixe seu comentário: