Um jogo que é uma febre mundial chegou ao Brasil dia 3 de agosto. Trata-se do “Pokémon Go”, por meio do qual o internauta captura pokémons usando a tela de seu celular (Android ou iOs).

Para capturar o pokémon, é necessária a pokébola. Este artefato é encontrado nos PokéStops. É preciso que internauta vá até o local (os PókeStops) e adquira gratuitamente a pokébola. Contudo, outras “ferramentas” podem ser compradas.

Os PokéStops estão (em Itabirito) na escadaria da Prefeitura, perto da caixa d’água do hospital, em frente à igreja de São Sebastião, na Biblioteca na Praça da Estação, ao lado do supermercado Jequeri (Praça 1º de Maio) etc.

Batalha

As batalhas entre pokémons acontecem nas gyms, que são as arenas, onde o dono da “criaturinha” a coloca para lutar contra outro pokémon (como no desenho). É preciso que os internautas estejam presentes com seus celulares.

Em Itabirito, a Praça de São Sebastião (no coreto), Praça da Estação e em frente à igreja da Boa Viagem são três das arenas de batalha.

De acordo com o portal G1, os pokémons aparecem aleatoriamente pelo mapa do jogo (mapa original da cidade – por meio de GPS), respeitando um nível de raridade e algumas condições geográficas. Monstrinhos de água, por exemplo, tendem a surgir perto de rios, lagos e mares.

A ideia é que o internauta ande por aí para encontrá-los e capturá-los. E para isso, basta arrastar a pokébola que aparece na parte de baixo da tela na direção do pokémon.

Algumas criaturinhas são mais difíceis de pegar. Mas conforme os treinadores jogam, novas pokébolas mais eficazes também ficam disponíveis.

Ainda segundo o G1, os jogadores só podem disputar no ginásio (gym ou arena) após ganhar pontos de experiência suficientes para chegar ao nível 5, que é quando fica disponível a escolha de um time dentro do mundo de “Pokémon Go”.

A cada toque na tela seu pokémon executa um golpe. E quem derrotar o outro antes, vence.

De acordo com a Niantic, empresa desenvolvedora de “Pokémon Go”, troca de monstrinhos e batalhas entre jogadores são recursos que devem ser agregados ao jogo em breve.

Desenho no Brasil desbancou a Rede Globo  

Os personagens de um dos maiores sucessos da história da Rede Record. Imagem: reprodução de internet
Os personagens de um dos maiores sucessos da história da Rede Record. Imagem: reprodução de internet

Segundo o site RD1, como desenho animado, Pokémon estreou no Brasil no final da década de 1990. O anime japonês, sucesso absoluto no mundo inteiro, foi o responsável por alavancar a audiência de Eliana, na Record.

Disputando, na época, com o “Angel Mix” (Globo) e com o “Bom dia e Cia” (SBT), a direção da Record decidiu pela compra dos direitos de “Pokémon” para ser transmitido dentro das três horas de exibição do “Eliana & Alegria”. Tal fato fez com que a loira passasse a incomodar a líder e, em alguns momentos, deixou a Globo em terceiro lugar nas manhãs. O programa conquistava média de 8 pontos com picos de 15.

Mesmo sendo exibido em apenas 20 minutos, o desenho se tornou a principal arma do canal de Edir Macedo, obrigando a líder a fazer alterações em sua programação matinal. No ano seguinte à estreia do japonês, a Globo lançou dentro do programa de Angélica uma atração semelhante a trama de Ash e Pikachu: o “Digimon”.

 

Deixe seu comentário: