Parada Gay reúne 400 pessoas no bairro Praia, em Itabirito

Stephanie de Mônaco durante show na Parada Gay - Foto: Minuto Mais
Stephanie de Mônaco durante show na Parada Gay – Foto: Minuto Mais

Ailton Fernandes, casado, pai de cinco filhos, heterossexual, avô, 47 anos de idade, foi com 10 familiares prestigiar a 1ª Parada do Orgulho Gay de Itabirito, na tarde de hoje, 15 de novembro. Ele levou, inclusive, o seu filho, Lucas Vinícius, que estava em uma cadeira de rodas porque sofreu um acidente de moto e ficou com dificuldade de locomoção. Sua sogra, dona Geralda, de 82 anos, também marcou presença no evento. Situações como essa expressam o sentimento da Parada, ou seja, mostrar à sociedade que o gay quer ser visto como ser normal, digno de ser aceito pelas famílias. “Eu vim prestigiar o evento do pessoal. Sem preconceitos. Tudo que é feito com respeito, é válido”, disse Ailton.

Gogo boys também foram atrações na Parada - Foto: Minuto Mais
Gogo boys também foram atrações na Parada – Foto: Minuto Mais

Definitivamente, havia muitos gays, mas a maioria era formada por curiosos. Segundo a PM, trezentas pessoas estiveram na saída da Rua Dr. Eurico Rodrigues, no bairro Praia, que foi fechada para o evento. Segundo a organização, o público chegou a 400 pessoas. A impressão que dava é que havia mais que isso. Após a concentração, a festa seguiu em passeata até área do Julifest.

No bairro Praia, deu para perceber o clima da festa: shows de transformistas (destaque para as transexuais Stephanie de Mônaco e Lara) e de gogo boys. Houve alguns apelos sexuais, como um gogo boy que mostrou parte da bunda. Mas o público não parecia muito chocado com isso. De um modo geral, foram apresentações que passariam facilmente pelo crivo de um programa popular da TV aberta, ou seja, nada de mais.

Aparato policial

Policiamento durante o evento - Foto: Minuto Mais
Policiamento durante o evento – Foto: Minuto Mais

A Polícia Militar esperava um público maior para o evento. Para se ter uma ideia, o número de policiais da cidade foi triplicado. Houve reforço vindo de Ouro Preto. Até o fechamento desta matéria, nenhuma ocorrência, em função da Parada, havia sido registrada.

Os homens da polícia vieram com armamento pesado: submetralhadoras, munição química, armas de choque e fuzis. “A polícia sempre trabalha prevenida para qualquer eventualidade. Mas nossa intenção nunca é partir para a violência. Isso é somente em último caso”, disse o tenente, Patrício Oliveira, da PM de Ouro Preto.

Já a Guarda Municipal fez a escolta do trio elétrico (que seguiu para a área do Julifest), fechou o trecho na avenida e coordenou o trânsito. Ao todo, seis GMs atuaram durante a Parada.

Equipe da Saúde distribuiu 10 mil camisinhas - Foto: Minuto Mais
Equipe da Saúde distribuiu 10 mil camisinhas – Foto: Minuto Mais

Camisinha e gel lubrificante

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Itabirito, seguindo determinações da Rede SUS, distribuiu 10 mil camisinhas, três mil sachês de gel lubrificante e milhares de folhetos com informações sobre saúde, inclusive sobre doenças sexualmente transmissíveis.

O trabalho foi coordenado pela diretora de Saúde Sanitária, Maria Inês Vieira, e foi feito pelos agentes de Saúde da região do São José e do Santa Rita.

Avaliação

Parada Gay 2013 em Itabirito (92)
Paulo Henrique, um dos líderes do Movimento, junto com os gogo boys – Foto: Minuto Mais

De acordo com o diretor financeiro do Movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) de Itabirito, Paulo Henrique, houve alguns problemas na organização, “mas só pelo fato de ter acontecido a Parada já foi uma grande conquista”. A festa foi organizada por esse Movimento.

A previsão é de que a “folia” continue na área do Julifest até às 23h.

Leia também: Parada Gay de Itabirito: comércio poderá funcionar até mais tarde

Família de Ailton Fernandes prestigiou o evento - Foto: Minuto Mais
A família de Ailton Fernandes prestigiou o evento – Foto: Minuto Mais

[nggallery id=5]

Deixe seu comentário: