MIP Engenharia de Itabirito é acusada de enganar 130 trabalhadores capixabas

Eles saíram de Vitória com a esperança de trabalhar para a empresa em uma obra da Vale. Contudo, a MIP mudou de ideia e cancelou as contratações

Cerca de 130 trabalhadores estavam na porta do escritório da MIP Engenharia em Itabirito - Foto Minuto MaisA porta da empresa MIP Engenharia, de Itabirito, que funciona em frente ao Cefet, ficou lotada de trabalhadores indignados no fim da tarde de hoje, 23 de outubro.

Isso porque houve uma promessa, por parte da firma, de que haveria as contratações desses homens (ao todo, 130), mas a MIP não cumpriu o acordo e dispensou mais ou menos a metade. Eles saíram de Vitória, no Espírito Santo, às 22h de ontem (dia 22). Chegaram à Itabirito por volta das 10h da manhã de hoje. Por incrível que pareça, a MIP, a princípio, nem sequer queria pagar o almoço desses trabalhadores (entre mecânicos, encarregados, mestres e eletricistas).

Por causa disso, eles foram protestar na porta da empresa. Alguns queriam só a passagem de volta. Outros estão pensando em processar a MIP por danos morais.

O acordo (para a vinda dos profissionais) entre a empresa e os trabalhadores foi feito por meio de contatos pelo telefone e por e-mail. Alonso Batista, representante dos trabalhadores (que, inclusive, já fez trabalhos para a MIP) recebeu a incumbência de trazer os profissionais a pedido do representante da empresa Edmo Sarreto (gerente de contrato). O Minuto Mais teve acesso a esses e-mails.

MIP Engenharia de Itabirito é acusada de enganar 130 trabalhadores capixabasDepois de toda a humilhação, um “acordo” (que não agradou à maioria dos trabalhadores) foi feito. Eles receberam o dinheiro para voltar para a casa e tiveram o almoço pago.

A bem da verdade, eles gastaram R$ 220 para chegar à Itabirito (sem contar as despesas com a alimentação) e receberam da MIP somente R$ 207.

Não é a primeira vez que a empresa faz isso. Segundo os trabalhadores, em Guarapari, a MIP (de lá) fez algo parecido com milhares de homens. Ainda de acordo com os manifestantes, por causa da promessa, houve quebra-quebra na sede do Sine guarapariense.

Em Itabirito, a força policial foi acionada para que não houvesse confusão. O Minuto Mais foi recebido pela representante da empresa Alessandra Alckmin que disse que a MIP não irá se pronunciar sobre o assunto. A obra em que os profissionais iriam trabalhar pertence à Vale.

Share Button



Deixe um comentário