Itabiritense Emanuel Marques - defensor público em São Paulo. Foto: Romeu Arcanjo/Minuto Mais

A união de homossexuais é uma aberração. Um cachorro pode cheirar o outro do mesmo sexo, mas eles não têm relação. Sem querer ofender os cachorros, acho que isso é uma cachorrada. Esta é a opinião de Deus e da igreja.

Essa pérola do pensamento subdesenvolvimentista foi dita por ninguém menos que o arcebispo de Maceió, Edvaldo Amaral. Um exemplo de preconceito institucional aos LGBTs apresentado pelo defensor público federal, o itabiritense Emanuel Gomes Marques, durante a cerimônia de “entrega de comendas em direitos humanos e cidadania LGBT”, na noite de quinta-feira 10, na Câmara de Itabirito.

Em entrevista ao Minuto Mais, o defensor, que atua em São Paulo, respondeu ao seguinte questionamento:

Minuto Mais – O senhor é um homossexual assumido e veio explanar sobre a situação LGBT no Brasil. Quando se fala, por exemplo, no sociólogo João Silvério Trevisan (autor de Devassos no Paraíso), de Eli Vieira (geneticista da Universidade de Cambridge que gravou um vídeo no YouTube falando da existência do “gene gay”), os críticos dizem que são gays defendendo seus próprios umbigos e a “defesa gay” não reflete o real sentimento da sociedade. Como o senhor vê esse tipo de pensamento?

Emanuel: Temos de nos basear nas estatísticas. Homossexuais são assassinados no Brasil simplesmente por serem homossexuais. E não há estatísticas somente de assassinatos, homossexuais sofrem lesões, violações contra a honra, são discriminados em oportunidade de emprego por serem homossexuais. Não se quer pluridireitos (direitos a mais) para os homossexuais, o que se pretende é que os LGBTs tenham a mesma dignidade de um heterossexual. O homossexual não pode ser ameaçado por ser homossexual, e a mulher trans, por exemplo, tem o direito de ser contratada em uma vaga de emprego.

Entrega da comenda

Entre os homenageados com a comenda de direitos humanos LGBT (evento promovido pela ONG Ita LGBT) estiveram o presidente da Câmara, Arnaldo Pereira dos Santos (PMDB), o vereador Rocha do PT, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura, o Sine Itabirito, Marcos Perereca (idealizador do bloco carnavalesco Gaiola das Loucas) e o estabelecimento Pausa de Buteco.

Beto Avelino e Comunicação da Prefeitura

Dois homenageados chamaram a atenção dos presentes durante a entrega das comendas: Beto Avelino – que em seu estabelecimento Pausa de Buteco fez uma promoção para casais héteros e casais homossexuais no dia dos namorados, e a Secretaria Comunicação da Prefeitura que fez uma postagem (na mesma data) na qual “considerava justa todas as formas de amor”.

“Preconceito não deveria existir. Isso é coisa do passado. Não cabe mais em nosso tempo. E não é só contra o gay, é contra a mulher e o negro, por exemplo. A porta está aberta a todos no Pausa de Buteco”, disse Beto. 

Deixe seu comentário: