Enquanto acontecia a audiência do Plano Diretor, moradores de Água Limpa conversavam com secretário de Urbanismo (à esquerda). Foto: Minuto Mais

Uma Câmara de Vereadores lotada nesta quinta-feira (16), durante Audiência Pública para a Revisão do Plano Diretor em Itabirito (MG). Segundo lei federal, o plano deve ser revisto de 10 em 10 anos. Só de moradores da região de Água Limpa, foram 150 pessoas.

As reivindicações dos cidadãos de Água Limpa são direitos básicos, como: água tratada, policiamento, iluminação pública e transporte escolar.

A reportagem perguntou ao presidente da Associação Solidária do Balneário Água Limpa, Raione Aiala, se a maior parte da área, pela qual eles lutam por melhorias, é fruto de invasão. Ele respondeu: “Tem gente que mora lá há 15, 25, 30 anos”.

Para o presidente, os direitos dos moradores locais são garantidos por meio de “usucapião”. E, de acordo com ele, alguns pagam IPTU e luz.

De acordo com outro líder da comunidade, Marcos Aurélio Silva, os ônibus que transportavam os moradores foram parados na barreira policial, na MG-356, a caminho da sede de Itabirito e, segundo ele, “os ocupantes foram tratados como bandidos”. “Não somos bandidos”, disse ele.

Esquema de segurança envolveu GMs e PMs. Foto: Minuto Mais

A reportagem não conseguiu falar com os PMRs da barreira. Contudo, os ônibus foram liberados a pedido da promotora de Justiça de Itabirito, Vanessa Campolina.

O esquema policial não foi somente na barreira, foi também na entrada da Câmara, envolvendo PMs e GMs.

Isso se deu porque, de acordo com Marcos Aurélio da Silva, houve uma montagem de áudio, divulgado por meio do WhatsApp. “A mensagem gravada no mês passado, pedia que a comunidade não usasse de violência durante reivindicações. Contudo, foi feita uma edição por meio da qual parecia que queríamos o confronto”, disse ele.

A reportagem do Minuto Mais saiu da Câmara por volta das 21h, depois de cerca de 2h de reunião. Até então, não houve qualquer sinal violência.

Esquema de segurança envolveu GMs e PMs. Foto: Minuto Mais

Outro lado

Durante a reunião do Plano Diretor, o secretário de Urbanismo da Prefeitura de Itabirito, Marco Aurélio, em entrevista, disse que a população terá a chance de falar. Contudo, “este não é o melhor momento para isso. O dia ideal será durante as oficinas, por meio das quais, cada comunidade será ouvida”, disse ele.

A oficina que vai ouvir especificamente a comunidade de Água Limpa foi marcada para o dia 9 de dezembro. O evento acontece na comunidade.

Todavia, em qualquer uma das oficinas, moradores de qualquer comunidade terão a chance de dar opiniões. Serão ao todo cinco oficinas.

Segundo o secretário de Urbanismo, não há motivo para alarde uma vez que a comunidade de Água Limpa está contemplada no Plano Diretor.

De acordo com ele, trata-se de uma situação atípica que existe desde a década de 50. “Hoje (dia 16) viemos falar de algo mais amplo que é o Plano Diretor em toda a cidade”, disse ele.

Segundo o secretário, a região da Água Limpa pertence Urbe-DU da BR-040 (Área Urbana Especial de Desenvolvimento Urbano da BR-040) que engloba os condomínios Aconchego da Serra, Vila Belo Vale e empresas como Gerdau, Coca-Cola e Vale, além da comunidade da região Água Limpa.

“Agora, não estamos discutindo um assunto específico, ou seja, um bairro ou uma região. Discutimos o uso do solo em toda Itabirito. Durante as oficinas, aí sim, cada comunidade será ouvida. Depois, faremos o estudo e apresentaremos as soluções. Os problemas de Água Limpa não foram excluídos do plano, mas eles não podem ser resolvidos da noite para dia”, disse o secretário.