GM no Bela Vista: população aprova. Foto: Minuto Mais

É notória a satisfação da população do Bela Vista, em Itabirito (MG), em ter a Guarda Civil Municipal presente no bairro durante as noites e madrugadas. O objetivo é coibir as algazarras, a baderna, o uso de som automotivo, de drogas e a associação de bebida alcoólica com direção.

Na quinta-feira (28), uma blitz em conjunto com a Polícia Militar foi realizada. Já nesta noite de sexta-feira (29), os GMs estão realizando uma “operação presença”. “É surreal! Fantástica! Uma hora dessa, era para eu estar com muita raiva por não conseguir escutar de dentro da minha própria casa o que eu gosto de ouvir, ou seja, sou obrigado a suportar as músicas dos carros de som da rua. Se fosse música boa, tudo bem. Mas é sempre funk pesado”, disse Renato Luís Rosa, morador há 1 ano e 8 meses da Avenida Manoel Salvador de Oliveira, de frente à Praça do Cruzeiro, onde está acontecendo a operação da GM.

Com cerca de 10 homens e quatro viaturas, os GMs não ficam somente no Bela Vista. Do alto do bairro, é possível ouvir sons automotivos de várias partes da cidade. Quando isso acontece, os guardas saem na tentativa orientar ou até mesmo de multar o infrator.

O Minuto Mais ficou por cerca de 1h com os GMs no Cruzeiro. Em todo momento, uma viatura se deslocava para outro ponto da cidade, sempre indo a locais onde são constantes as reclamações por causa de barulho.

“Vamos atuar também nas noites de sábado (30) e de domingo (31). Vamos pegar pesado com a baderna em Itabirito”, disse o secretário de Segurança e Trânsito da Prefeitura, Carlos Henrique Luke, que esteve na operação.

Segundo o secretário, a ação da GM se dá por meio de uma parceria com a Policia Militar. “Há uma viatura da PM para nos dar apoio. Se precisar, a gente liga e os policiais aparecem em minutos”, garantiu o secretário, salientando a respeito da importância de se ter como apoiador da operação o capitão comandante PM, Gláucio Sigaud.  

A moradora da Avenida Manoel Salvador de Oliveira, Isa Maria, aprovou a ação e disse que nos dias em que a Confraria Pub funciona, o incômodo é grande em várias pontos do bairro. “Os clientes bebem e saem de carro, cantam pneu, colocam o som alto, e ficam gritando madrugada adentro”, afirmou.

Outra moradora da avenida, que não quis se identificar, disse que há um quarto nos fundos da casa dela que é usado para fugir do barulho excessivo dos fins de semana do bairro. “Barulho que existe porque a Confraria atraiu o movimento para cá”, acredita ela.

Sabe-se que a Confraria Pub fez investimentos na infraestrutura da edificação, adequando-a acusticamente para que o som produzido dentro do estabelecimento não vaze de maneira veemente para o exterior da casa de show. 

A todo momento, viaturas da GM se deslocavam para outros bairros. O objetivo é o combate à baderna dos fins de semana. Foto: Minuto Mais

Sabe-se também que o proprietário não incentiva a baderna, e orienta clientes e amigos a não perturbarem o sossego do Bela Vista.

Contudo, muitas vezes, os clientes do Pub e frequentadores das redondezas insistem em não respeitar a população do bairro. “Tivemos casos de a confusão acabar às 5h (…). Uma vizinha, todo domingo pela manhã, cata embalagens e cacos de vidros deixados na Praça do Cruzeiro. No último domingo, ela pegou 48 garrafas. Essa vizinha faz isso porque crianças também usam o espaço”, disse Renato Rosa.

Em um prédio nas proximidades do Cruzeiro, não surgem interessados em alugar os apartamentos que dão de frente à praça. O motivo é a bagunça da rua nas noites de sexta e sábado, principalmente.

Um morador comentou com os GMs que em momentos de baderna no Bela Vista, as janelas da casa dele chegam a tremer em plena madrugada do fim de semana.