Bandeira LGBT. Foto: reprodução

Há duas semanas, em uma festa num conhecido sítio de Itabirito (Região Central de Minas), um gay levou um chute no rosto enquanto “descia até o chão” ao som da música que animava o ambiente. Sabe-se que o agressor estava de capuz azul. A princípio, seria a única informação sobre o autor (…). Na véspera de Natal, em uma festa de servidores públicos municiais de Itabirito, um homossexual foi espancado por um sujeito (…). Recentemente, um post de Facebook, feito por um morador de Itabirito, mostrou uma arma e um título de eleitor. “Já pode mata os viado (sic)?”, perguntava o internauta, fazendo referência à vitória de Bolsonaro (que defende a legalização do porte de arma e faz críticas ao ativismo LGBT).

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

No último caso citado, o autor responde na Justiça. Por meio da rede social, ele pediu desculpas, disse que foi uma brincadeira com seu primo e que não teve a intenção de ofender. O post foi retirado, mas já havia ganhado repercussão.

Arte: ITALGBT

Para o presidente da Organização Não Governamental ITALGBT, Leandro Dias, os casos citados são algumas provas de intolerância e de intensificação dos “discursos de ódio”. “Diante do novo cenário político e social de pujante intolerância que se instaura, demonstrado em nossa cidade com a crescente estatística de agressões a integrantes da comunidade LGBT e uma recente campanha sensacionalista contra o Movimento ITALGBT e seus membros a fim de minar todos os avanços conquistados”, informou a ONG por meio de nota.

Para discutir assuntos desse tipo, a ONG estará promovendo uma roda de conversa com o tema “Avanços e desafios do movimento LGBT em Itabirito”. Será dia 26, 19h30, no Bonserá, bairro Boa Viagem.

“A roda surge da necessidade de promover a integração e uma descontraída discussão entre os LGBTs locais, seus familiares e simpatizantes sobre a atual conjuntura dos Direitos Humanos em Itabirito, Minas Gerais e o Brasil. Tem o objetivo também de construir unidade numa frente ampla de fortalecimento da luta”, disse a ONG

Arte: ITALGBT

No que diz respeito aos avanços, o movimento salientou: “Nos últimos cinco anos, tivemos consideráveis avanços na consolidação das políticas públicas em Direitos Humanos na cidade de Itabirito atribuído ao protagonismo do movimento ITALGBT e sua atuação junto às instituições governamentais, consolidando de maneira transversal um novo entendimento sobre as políticas públicas, sobre Direitos Humanos, cidadania e sua integralidade de acesso à população LGBT aos serviços e programas sociais, culturais e educacionais, promovendo suporte direto e integral a esta população”.

Mais informações CLIQUE AQUI.

Arte: ITALGBT