As crianças se esbaldaram no Recanto das Colinas 1 e 2. Foto: comunidade local

Uma tradição que é muito forte, principalmente, nos Estados Unidos cada vez mais tem seduzido brasileiros. Trata-se do Halloween (Dia das Bruxas). Em Itabirito, não é diferente.

PUBLICIDADE
WhatsApp Minuto Mais

Um evento para comemorar a data aconteceu na noite desta quarta-feira (31) pelas ruas dos bairros Recanto das Colinas 1 e 2. Cerca de 25 crianças, bem novinhas, se esbaldaram batendo na porta das casas e pedindo “doces ou travessuras”.

Os pais acompanharam de perto. Foto: comunidade local

Sendo assim, o dono da residência ou dava uma quantidade da guloseima açucarada ou pregava uma peça nas crianças.

Toda a movimentação foi acompanhada pelos pais. “Foi muito legal. Um momento de socialização. Era lindo ver as crianças rindo juntas e se divertindo pelas ruas dos bairros. Foi a segunda vez que tivemos o evento nas duas localidades. Tudo foi organizado por meio do nosso grupo de WhatsApp”, disse o vereador Léo do Social, morador local.

O grupo de WhatsApp, em questão, é uma referência na cidade. Qualquer movimentação suspeita, nos dois bairros, vira informação imediata em dezenas de celulares. Contudo, o grupo também serve para promover a alegria.

VEJA MAIS FOTOS NO FIM DESTA MATÉRIA.

Qual a origem do Halloween? – Texto da revista Superinteressante

Uma versão ancestral da festa – que por aqui também é conhecida como Dia das Bruxas – provavelmente surgiu na Europa, centenas de anos antes de Cristo.

Originalmente, o Halloween era um ritual dos celtas, um povo que habitou a Grã-Bretanha e a França entre o ano 2000 e o ano 100 antes da era cristã. Para eles, a noite de 31 de outubro, data da comemoração até hoje, indicava o início do Samhain, uma importante celebração que marcava três fatos: o fim da colheita, o Ano-Novo celta e também o início do inverno, “a estação da escuridão e do frio”, um período associado aos mortos.

“No Halloween, segundo a mitologia desse povo, era possível entrar em contato com o mundo dos desencarnados”, diz a historiadora Clare Downham, da Escola de Estudos Celtas, na Irlanda. Como se pregava que esse contato libertava todo tipo de espírito, as pessoas acreditavam que, durante aquela noite, fantasmas, demônios e fadas ficavam à solta.

Para representar esse caos sobrenatural, os celtas se fantasiavam com peles e cabeças de animais abatidos para o inverno. A crença nos espíritos também despertou outros costumes típicos da festa, como o uso de leite e comida (hoje substituídos por doces) para acalmar os visitantes do além.

Outras tradições, porém, foram deixadas de lado, como o hábito de acender fogueiras para espantar os espíritos. Bem depois, no século 9, a festa foi influenciada pela expansão do cristianismo na Grã-Bretanha. Na tentativa de acabar com os festejos pagãos, o papa Gregório III consagrou o dia 1º de novembro para a celebração de Todos os Santos. Surgiu daí a própria palavra halloween, originada de all hallows eve, que em português quer dizer “véspera do dia de Todos os Santos”.

Finalmente, no século 20, o Halloween juntou ao seu caldeirão de influências a força da cultura dos filmes de terror, que hoje dão o tom da celebração tanto na Grã-Bretanha como nos Estados Unidos.