“Eu tenho a necessidade de fazer isto. Faz bem para quem faz e recebe. É uma experiência única. Emocionante. Muito bacana”. Foi assim que Antônio de Lima e Silva (47), conhecido como Toninho, o palhaço Pamonha, descreveu o trabalho dos Companheiros da Alegria, de Itabirito (leia mais sobre o grupo no fim da matéria).

Vidanimal e Companheiros da Alegria na Casa de Repouso. Foto: arquivo pessoal

Pela primeira vez desde que a trupe começou, há um ano e meio, os Companheiros da Alegria se juntaram aos voluntários da Organização Não Governamental (ONG) Sociedade Protetora dos Animais Vidanimal. O “encontro” foi na Casa de Repouso para uma visita aos idosos no sábado (1º).

Em meio a palhaçadas, cinco cães, sob a responsabilidade da ONG, reforçaram a diversão dos internos.

Todos os cachorros envolvidos são extremamente dóceis. Alguns são do Canil Municipal, do tipo que aguarda ansiosamente por alguém disposto a adotá-los.

Na Casa de Repouso, o resultado foram palhaços, cães, voluntários, idosos e funcionários da instituição que se juntaram em um momento que de tão sedutor parecia não ter explicação racional.

Quem são os Companheiros da Alegria? Trata-se de um grupo de voluntários que, duas vezes ao mês, se veste de palhaço e, com base nos ensinamentos de um curso rápido (com psicólogo e artista), diverte adultos e crianças, de Itabirito, em lugares como a Casa de Repouso Santa Luíza de Marilac, Casa Lar, hospital e a entidade “Fé e Luz” da Paróquia de São Sebastião.

O grupo hoje é formado por cerca de 20 pessoas e é uma idealização do “Rotary Club de Itabirito”. Contudo, não é preciso ser rotaryano para ser um membro da trupe.